Bastidores

A primeira série de TV do Zé do Caixão (José Mojica Marins).

Apresentadas por Mojica, as histórias foram o primeiro sucesso da recém-inaugurada Bandeirantes, conseguindo o primeiro lugar em audiência com frequência.

O elenco era composto, além de Mojica, por alunos da sua escola de interpretação.

O tom de Além, Muito Além do Além era bem popularesco, bastante criticado na época mas com bastante sucesso popular.

Em 1968, Mojica foi para a Tupi, sem avisar ninguém, deixando a Bandeirantes “na mão”.

Havia inclusive um projeto de uma novela que estava sendo escrita por Rúbens Lucchetti, O Homem Que Apareceu, com Mojica. A sinopse e vários elementos dessa novela foram reaproveitados no filme Finis Hominis, de 1970.

Depois, na Tupi, Mojica estreou O Estranho Mundo de Zé do Caixão, com qualidade superior, atores consagrados (como Lima Duarte e Irene Ravache) e direção de Antônio Abujamra. Mas nesse caso, não houve sucesso popular.

Quase todas as fitas foram reaproveitadas e/ou destruídas em incêndio e não há mais nenhum registro do programa.

Bandeirantes – 23h
de 15 de setembro de 1967
a 26 de julho de 1968

argumento de José Mojica Marins
roteiros de Rúbens Francisco Lucchetti
direção de José Mojica Marins

pesadelo macabro
a voz do coveiro
o médico
noite negra
procissão dos mortos
magia negra
casa do demônio
o olho
seu último espetáculo
a maldição de um morto
o quadro de jesus
a boneca de natal
a praga
aconteceu na passagem de ano
prisioneiro do terror
olho por olho
mais forte que a morte
o fantasma do ciúme
a chaga do leproso
alucinação
quarta-feira de cinzas
dívida de jogo
o guardião dos mortos
o agiota
o estranho
o advogado da alma
trinta anos depois
sexta-feira 13
madame belle
poltrona 29
o maldito
o cirurgião
e agora
doutor?
preconceito
episódios inéditos não filmados
mesa branca
a incógnita
a papoula negra

Veja também

  • zedocaixao_foto

Um Show do Outro Mundo