Sinopse

Aos 10 anos, Carlos (Gabriel Braga Nunes) fugiu do interior de Minas Gerais cansado dos maus tratos do padrasto, Virgílio (Osmar Prado), que explorava seu dom especial de amansar animais com um gesto ou um olhar para ganhar dinheiro. Na fuga conheceu um caridoso caminhoneiro que o levou para a ilha de Marajó, no Pará, onde virou um competente domador de búfalos. Conhecido nas redondezas como Barão, por sua inteligência e postura, é respeitado por todos, e perseguido pela apaixonada Valéria (Andréia Horta), filha de comerciantes locais, que não se conforma em não ter sua paixão correspondida.

O coração de Carlos guarda a lembrança de um amor de infância, Elisa. Os dois viveram um amor de criança, inocente, cheio de magia, e prometeram se amar para sempre e se casar um dia, quando forem adultos. Mas o destino separou os dois e, quando se reencontrarem, perceberão que muita coisa mudou e que talvez não possam ou não queiram ficar juntos como sonhavam.

No Rio de Janeiro está Verbena Borges (Ana Lúcia Torre), a rica e bondosa viúva de um dos maiores empresários cariocas. Mesmo muito doente, ela não desiste da incessante procura a seu único filho que desapareceu muitos anos atrás, a contragosto de sua invejosa irmã Melissa (Cássia Kiss Magro), do cunhado interesseiro Dimas (Luís Mello), e do sobrinho mau-caráter Fernando (Carmo Dalla Vechia).

Na procura pelo seu herdeiro, Verbena conta também com a ajuda das duas filhas do seu médico, Dr. Gabriel (Felipe Camargo): Clara (Klara Castanho), uma menina sensível, com um poder telepático; e Míriam (Leticia Persiles), uma bela jornalista, noiva de Fernando, que irá se encantar por Carlos quando conhecê-lo. Quer dizer, Carlos não, Rodrigo Borges.

Globo – 18h
de 5 de março a 8 de setembro de 2012
161 capítulos

novela de Elizabeth Jhin
escrita com Denise Bandeira, Duba Elia, Eliane Garcia, Lilian Garcia e Renata Jhin
direção de Roberta Richard, Luciana Oliveira, Paulo Ghelli e Fábio Strazzer
direção geral de Pedro Vasconcelos
núcleo Rogério Gomes

Novela anterior no horário
A Vida da Gente

Novela posterior
Lado a Lado

GABRIEL BRAGA NUNES – Rodrigo Prado Borges (Carlos de Souza / Barão / Salvador Borges)
LETÍCIA PERSILES – Míriam Allende (Alice)
CÁSSIA KIS MAGRO – Melissa Prado Sobral
CARMO DALLA VECCHIA – Fernando Prado Sobral (Leôncio)
MAYANA NEIVA – Elisa (Maria do Amparo / Consuelo)
ANA LÚCIA TORRE – Verbena Prado Borges
LUÍS MELLO – Dimas Sobral
OSMAR PRADO – Virgílio de Souza
DENISE WEIMBERG – Angélica
FELIPE CAMARGO – Gabriel Allende
CAROLINA KASTING – Beatriz Mainardi
GIULIA GAM – Laura Belize
OTÁVIO MARTINS – Gil Menezes
LAILA ZAID – Priscila Belize
MARCELO FARIA – Kleber Gonçalves
SUZY RÊGO – Jaqui (Jaqueline Menezes Gonçalves)
ANDRÉ GONÇALVES – Pedro Fonseca
DANIELA FONTAN – Gracinha
VERA MANCINI – Carmem
PEDRO PAULO RANGEL – Zé da Carmem
ANDRÉIA HORTA – Valéria
RAPHAEL VIANA – Josué
CAROL CASTRO – Jacira
EROM CORDEIRO – Tobias da Silva
OTHON BASTOS – Lexor
LUCCI FERREIRA – Zenóbio
SANDRA CORVELONI – Solange
ROSI CAMPOS – Teresa
TONY TORNADO – Antônio
NICA BOMFIM – Deolinda
CARLOS VEREZA – Francisco Mainardi Chaves
SUELY FRANCO – Zilda
ROSANE GOFMAN – Valdirene
MARIA CLARA MATTOS – Regina Ferraz
MURILO GROSSI – Henrique Pietrine
MARINA RUY BARBOSA – Juliana
BERNARDO MARINHO – Beto
MIGUEL RÔMULO – Bruno
MARIANA MOLINA – Cris (Cristina Mainardi)
OLÍVIA TORRES – Gabi
HERMYLLA GUEDES – Marlene
JÉSSIKA ALVES – Laís
ÍGOR COSSO – Julinho
NUNO LEAL MAIA – Ribamar
CAMILA AMADO – Dona Olga
FLÁVIA GARRAFA – Gilda
GILBERTO TORRES – Mauro Tavares
JOSÉ BITTENCOURT – Uílha / William
LINCOLN TORNADO – Jair
FLÁVIA REIS – Divina
CHICO EXPEDITO – Laudelino
GILLRAY COUTINHO – Chico
FLÁVIO BAURAQUI – Hamilton
ADELAIDE DE CASTRO – Tati
BRUNO PEREIRA – Robson
PAULA BARBOSA – Débora
PAULA LOFFLER – Flavinha
LARISSA VEREZA – Kátia
VINÍCIUS SOARES – Wal
WAL SCHNEIDER – Léo
VANESSA BUENO – Danusa
as crianças
KLARA CASTANHO – Clara (Adélia)
LUIZA GONZALEZ – Michele
LUÍS AUGUSTO FORMAL – João
RAFAEL GEVÚ – Júnior
e
ALEXANDRE RODRIGUES – Seth
ALICE ASSEF – Ana
ANA CECÍLIA COSTA – Vanessa (mãe de Clara)
ANJA BITTENCOURT – Joana
BEBEL MESQUITA – Neusinha (morada do São Jorge que se envolve com Jair)
CAIO MANHETE – Carlos (criança)
CHICO DIAZ – Xavier (levou Carlos criança para Marajó)
CLEITON ECHEVESTE – Padre Nelson
EDOARDO DELL´AVERSANA – Carlos (criança)
GABRIEL KAUFFMAN – Fernando (criança)
ÍGOR PAIVA – Branco (contratado por Melissa para tentar matar Angélica)
JÚLIA GOMES – Elisa (criança)
JULIANE ALMEIDA – moradora do Edificio São Jorge
JÚLIO BRAGA – Juca (ex-funcionário de Dimas que sabe do mistério do rapto de Rodrigo criança)
LIONEL FISCHER – Padre Orlando
LUCIANA BORGHI – vendedora que humilha Gracinha
LUIZ NICOLAU – diretor do comercial do qual Josué participa
MARIA MÔNICA PASSOS – freira do asilo onde Angélica vive
MICHEL BERCOVITCH – Eduardo (pai de Laís)
RAFAEL SIEG – Dr. Fabrício
REGINALDO FARIA – Augusto Borges (marido de Verbena)
ROBERTO BIRINDELLI – delegado
SÉRGIO STERN – Clóvis
Maria (esposa de Hamilton, empregada da fazenda de Rodrigo)

Uma trama folhetinesca diluída em um discurso filosófico e doutrinário com temas espiritualistas – na verdade um mix de teorias filosóficas recheadas com kardecismo, fenômenos paranormais, crianças índigo, vidas passadas, sessões de regressão, clarividência, experiência de quase morte, anjos, mantras, rezas, e toda uma sorte de assuntos exotéricos.

Amor Eterno Amor até que teve uma história de amor bem amarrada e coerente. Mas a autora, Elizabeth Jhin, exagerou na dose religiosa de sua novela. Impor uma doutrina em detrimento à história romântica pode levar ao didatismo monótono. E foi o que se viu em algumas sequências. Esta é a principal diferença entre Amor Eterno Amor e a novela anterior de Jhin, Escrito nas Estrelas, de 2010, onde, ao contrário, a religião serviu apenas de pano de fundo para a trama central.

Com uma trama lenta e arrastada, a autora levou a metade da novela para apresentar a antagonista no amor entre os mocinhos Rodrigo e Míriam (Gabriel Braga Nunes e Letícia Persiles). Mas a chegada de Elisa/Amparo (Mayana Neiva) não significou que a novela tivesse ganhado agilidade. A autora só apressou sua história no último mês de exibição. Não apenas a trama principal, mas a novela como um todo. Os meses que antecederam foram passando e as tramas paralelas patinaram junto com a história central.

Cássia Kis Magro foi o maior destaque no elenco de Amor Eterno Amor, como a pérfida vilã Melissa. A caracterização da personagem chamou a atenção. A inspiração para o figurino veio das editoras de famosas revistas de moda internacionais, e iam do clássico às estampas de oncinha, com cintos, bolsas de grife, sapatos plataforma, perucas e óculos chamativos. Também maquiagem pesada, sombra marcando os olhos e batom e esmalte em cores fortes. Mas Melissa não caía no estereótipo da “perua”. Apesar de exagerada, a vilã era sofisticada e estilosa. A figurinista Natália Duran afirmou que a maioria dos modelitos da personagem foi adquirida em brechós em Belo Horizonte.
O robe roxo que Melissa usava a fazia lembrar a bruxa Malévola da Disney. A atriz trouxe de uma viagem à Londres a caneca ensanguentada com a qual aparecia quase diariamente em cena. Para complementar o visual, o celular chamativo que ela usava com um pop-phone – um telefone de gancho, daqueles antigos, acoplado ao celular.

Também um trabalho muito curioso de Osmar Prado, como Virgílio, mais um tipo inusitado na carreira do ator. Os embates entre Melissa e Virgílio (“Dana Miliiiçaaa!”) eram ótimos. Grande momento da veterana atriz Denise Weinberg, como Angélica, a sofrida mãe de criação de Rodrigo. Daniela Fontan iluminou a novela com sua matuta Gracinha, uma personagem deliciosa. Andréia Horta viveu um de seus melhores trabalhos em TV, como a passional Valéria. E a ótima Vera Mancini também merece citação, apesar de sua Carmem ter diminuído a partir da segunda metade da trama.

O diretor de núcleo Rogério Gomes desembarcou com sua equipe em Minas Gerais e no Pará.
Carrancas, no interior de Minas, foi escolhida para ser o cenário da fictícia Arraial de Fora. Foi nesta cidade que o protagonista Carlos (Caio Manhente) passou parte de sua infância.

No Pará, a novela teve cenas realizadas em Belém, Santarém, Alter do Chão e Soure. Todas essas locações representaram um único cenário, a fictícia Vila dos Milagres, situada na Ilha de Marajó. As belezas do Pará foram mostradas, principalmente, nos 18 capítulos iniciais.
Na Ilha de Marajó foram gravadas sequências com os atores Gabriel Braga Nunes, Erom Cordeiro e Raphael Viana ao lado de uma manada de 600 búfalos.
“A natureza lá é muito forte e se impõe o tempo todo. A maré na ilha, por exemplo, sobe muito rápido. Isso nos obrigava a parar e fazer um intervalo nas gravações. Assim, evitamos realizar cenas com o sol a pino”, relatou Rogério Gomes, que exibiu paisagens inéditas aos telespectadores: “Escolhemos um cenário totalmente diferente. Esta é a primeira novela feita naquele local.”
Pena que o Pará sumiu da novela lá pela metade, quando todo o núcleo do Marajó migrou para o Rio de Janeiro e foi parar no Edifício São Jorge – cenário da novela, onde havia um núcleo que tentou fazer humor, sem sucesso.

Em Belém, a produção da novela esteve em pontos turísticos como o Mercado Ver-o-Peso e o Palacete Pinho. A equipe contou com cerca de 100 pessoas, entre diretores, assistentes, produção e atores, e mais de 300 figurantes da região. Uma tonelada e meia de equipamentos foi despachada para os mais de 20 dias de gravação no Pará. Só de figurino, foram 24 malas com mais de meia tonelada de roupas. Entre as locações escolhidas estavam igarapés, seringais, praias fluviais e lagoas.

A novela foi gravada em 24 quadros (são 24 fotos por segundo), o que também conferiu ao produto uma estética mais próxima do cinema. Normalmente, as novelas são feitas em 30 quadros.
“Trabalhamos com muitos filtros, mas todas as cenas captadas nestes cenários ficaram meio ‘lavadas’, tudo bem clean. Foi de propósito, para podermos mexer nas imagens na pós-produção”, contou Sergio Tortori, diretor de fotografia da novela.
Segundo ele, as cenas captadas no Pará foram tratadas para ganhar “um ar mais quente”. O tom mais puxado para o dourado – todo feito na base da computação – foi visto até na pele dos atores. O efeito foi obtido através do software Baselight.

Um verdadeiro circo, típico de interior, foi armado em duas etapas, na Central Globo de Produção e em locação externa, tudo para gravar as cenas nas quais Carlos se apresentou no picadeiro. A estrutura de 330 m² foi coberta por uma lona confeccionada pelo ateliê de costura da Rede Globo e a arquibancada comportou um público de até 300 pessoas. Além disso, o trabalho da produção de arte foi minucioso. O objetivo era transportar o público para um espetáculo com direito a palhaços, malabaristas e o menino domador de feras – como Carlos (Caio Manhente) era conhecido na infância. Estruturas metálicas, trapézios, carrinho de pipoca e outros objetos cênicos foram especialmente conceituados para passar a imagem de circo ultrapassado, puído e enferrujado, mas que era a grande atração do povoado.

Duas cidades cenográficas foram construídas na Central Globo de Produção, em Jacarepaguá (Projac). Na primeira delas foi erguido o edifício São Jorge com 1200 m² espalhados por três andares com corredores voltados para uma área de convivência comum. A outra cidade abrigou dois importantes cenários: a venda de Carmem (Vera Mancini) e a cabana de Carlos (Gabriel Braga Nunes). Os projetos recriaram fielmente os ambientes da Ilha de Marajó com construções de palafitas de madeira, redes e decoração típica da região espalhados por 4400 m².

O maior desafio ficou por conta das aulas de montaria e de lundu, conhecimentos essenciais para as gravações no Pará. Como muitos personagens eram moradores da ilha de Marajó – como Valéria, Tobias e Josué (Andréia Horta, Erom Cordeiro e Raphael Viana, respectivamente) -, foi preciso aulas de montaria para que eles aprendessem a utilizar um dos meios de trabalho e transporte mais comuns na ilha. O lundu, ritmo típico da região também foi ensinado para os atores como Andréia Horta, Erom Cordeiro, Raphael Viana, Daniela Fontan, Carol Castro e Letícia Persiles, para as cenas gravadas com uma grande roda da dança.

Amor Eterno Amor iniciou uma campanha para localizar crianças desaparecidas, cujas fotos passaram a ser apresentadas ao final dos capítulos. No dia 17/07/2012, assim que a novela terminou e apareceu a foto da menina carioca Maria Vitória, de 4 anos – desparecida desde dezembro último -, a família dela a localizou na cidade de Maricá (RJ).
Outras novelas já fizeram essa campanha, que começou com Explode Coração, em 1995.

Elizabeth Jhin trouxe de volta em Amor Eterno Amor o personagem Seth, um anjo interpretado por Alexandre Rodrigues em sua novela anterior, Escrito nas Estrelas.

Trilha Sonora Nacional

amoreternoamort1
01. AINDA BEM – Marisa Monte (tema de Miriam e Carlos)
02. LEVA-ME PRA LUA (FLY ME TO THE MOON) – Ana Caram (tema de abertura)
03. SETE DIAS – Roberta Campos (tema de Laura)
04. LINHA TÊNUE – Maria Gadú (tema geral)
05. AI MENINA – Lia Sophia (tema de Valéria)
06. PRESENÇA – Skank (participação especial de Emicida) (tema geral)
07. O SILÊNCIO DAS ESTRELAS – Lenine (tema de Carlos)
08. FELIZ – Leila Pinheiro
09. ADORMECENDO – Cogumelo Plutão
10. SE EU QUISER FALAR COM DEUS – Roberta Spindel (tema de Verbena)
11. PAUAPIXUNA – Fafá De Belém (tema de Josué e Valéria)
12. TÔ FAZENDO A MINHA PARTE – Diogo Nogueira (tema de locação: Edifício São Jorge)
13. GEMINIANO – Lan Lan
14. NA MORAL – Lincoln Tornado
15. LUZ DO SOL – Caetano Veloso (tema romântico geral)

Trilha Sonora Internacional

amoreternoamort2
01. BEFORE I LET YOU GO – Colbie Caillat (tema de Juliana e Bruno)
02. LAREDO – Band Of Horses
03. I WON´T GIVE UP – Jason Mraz
04. ACHY BREAKY HEART – Billy Ray Cyrus
05. GHOST RIDERS – Evan Westerlund
06. SOLITARY MAN – Dan Torres (tema de Carlos)
07. FOR ONE MORE DAY – Donna Byrne
08. EL DIA QUE ME QUIERAS – Julio Iglesias
09. PROMISES – John Lt
10. EVERYTHING I OWN – Bread (tema de Gabriel e Beatriz)
11. THE MAN I LOVE – Bia Sion

ainda
TU SAIS JE VAIS T’AIMER – Márcio Faraco e Nana Caymmi (tema de Fernando)

Tema de Abertura: LEVA-ME PRA LUA (FLY ME TO THE MOON) – Ana Caram

Leva-me pra lua
Quero ficar entre as estrelas
Deixa-me voar
Em direção a este lugar
Dá-me tuas mãos
Vem comigo
Vem me encontrar
Nesta viagem

Leva-me pra onde
O amor exista de verdade
Onde a felicidade
Só procure por nós dois
Em outras palavras
Quero dizer
Que eu vou ficar com você

Fly me to the moon
And let me play among the stars
Let me see what spring is like on Jupiter and Mars
In other words, hold my hand
In other words, darling, kiss me

Leva-me pra onde
O amor exista de verdade
Onde a felicidade
Só procure por nós dois
Em outras palavras
Quero dizer
Que eu vou ficar com você…

Veja também

  • alemdotempo2

Além do Tempo

  • beijodovampiro_logo

O Beijo do Vampiro

  • comecardenovo_logo

Começar de Novo

  • eternamagia_logo

Eterna Magia