Sinopse

Uma história composta por cinco casais de uma mesma família que vivem histórias bem diferentes entre si, mas recheadas de conflitos.

Marilia (Maria Fernanda Cândido) é uma mulher sofisticada e inteligente que não mede esforços para agradar o marido, mas sempre demonstra insegurança quando se trata do seu casamento com Cláudio (Enrique Diaz). Disposta a melhorar a relação, ela topa contratar uma garota de programa para realizar uma fantasia do marido. No entanto, ela não esperava que essa decisão mudaria a sua vida completamente. Enquanto faz de tudo para chamar a atenção dele, Cláudio não parece se importar com o casamento. Frio, ele se esquiva a cada tentativa de aproximação da mulher.

A chegada de Denise (Paolla Oliveira) muda completamente a história do casal. Sensual e inteligente, ela é capaz de se transformar em mil e uma facetas diferentes na pele da garota de programa Danny Bond. Apesar da esperteza e segurança, a jovem esconde suas fraquezas e mistérios. Coincidência ou não, a família que antes servia como modelo para as demais, começou a ruir após Marília e Cláudio contratarem Danny Bond. Encantados com a garota de programa, eles se envolvem em relações perigosas com ela.

O irmão de Cláudio, Hugo (João Miguel), e a mulher Tânia (Adriana Esteves) formam um modelo de vida à dois cheio de segredos prestes a serem desvendados. Um deles envolve o filho do casal, que nem imagina ser o foco de futuros problemas entre os pais. Tudo isso acontece depois que o marido decide fazer um exame e descobre que é estéril. A história dessa família mudará da água para o vinho.

Os irmão mais novo de Cláudio e Hugo, Joel (João Baldasserini), vive com Susana um casamento aparentemente feliz. No entanto, para a surpresa de todos, os dois comunicam que decidiram se separar. Apesar de anunciarem que foi uma escolha deles, Susana percebe que Joel não aceitou bem a separação. Ele não suporta saber que ela partiu para outra. O rapaz começa a perseguir a ex-mulher para descobrir quem é seu novo namorado. Insatisfeito com o rumo da relação, ele não poupa ameaças a ela e ao seu companheiro.

Os pais de Cláudio, Hugo e Joel – Norma (Selma Egrei) e Dionisio (Perfeito Fortuna) – se orgulham da relação que construíram. Juntos há 46 anos, eles criaram três filhos e não desistiram do casamento mesmo perante as dificuldades do relacionamento. No entanto, o que o casal não esperava é que a bela história seria abalada com a chegada de dois amores.

Dionísio reencontra um grande amor da juventude, Olga (Cássia Kis Magro). Juntos eles pontuam as doces lembranças do tempo em que foram namorados, o que faz ele repensar seu casamento. Enquanto isso, Norma se vê em uma situação completamente nova. A professora começa a ser perseguida por um colega da Universidade, que se diz apaixonado por ela, um rapaz bem mais jovem. Ela deve se entregar a essa aventura, ou deve respeitar o casamento sólido?

Globo – 23h
de 26 de janeiro a 6 de fevereiro de 2015
10 capítulos

minissérie de Euclydes Marinho
escrita por Ângela Carneiro, Denise Bandeira, Euclydes Marinho e Márcia Prates
colaboração de Bia Fonseca Corrêa do Lago
direção de Fernando Meirelles, Luciano Moura, Rodrigo Meirelles e Paulo Morelli
direção geral de Fernando Meirelles
coprodução O2 Filmes

ENRIQUE DIAZ – Cláudio Drummond
MARIA FERNANDA CÂNDIDO – Marília
PAOLLA OLIVEIRA – Denise / Danny Bond
JOÃO MIGUEL – Hugo Drummond
ADRIANA ESTEVES – Tânia
JOÃO BALDASSERINI – Joel Drummond
CAROLINE ABRAS – Susana
PERFEITO FORTUNA – Dionísio Drummond
SELMA EGREI – Norma
CÁSSIA KIS MAGRO – Olga
RODRIGO DOS SANTOS – Buza
ANTÔNIO SABÓIA – Guilherme
MARTHA NOWILL – Daniela
MATHEUS FAGUNDES – Júnior
BRUNO GIORDANO – David Rondinelli
CLÁUDIA ALENCAR – Alice Rondinelli
BEL KOVARICK – Fernanda
GERO CAMILO – Carlos Pavão
SILVIA LOURENÇO – Mayra
MARIANA LOUREIRO – Telma
FAFÁ RENNÓ – Virna
TECA PEREIRA – Soraia
Uma história sobre relacionamentos que culmina em um crime passional. Felizes Para Sempre? é uma adaptação da minissérie Quem Ama Não Mata (de 1982), pelo próprio autor, Euclydes Marinho. Traições, corrupções, problemas familiares e manobras políticas (a trama, agora, se passa em Brasília) são alguns dos dilemas abordados. Euclydes comentou sobre a experiência de reescrever sua obra:
“‘Felizes para sempre?’ é uma releitura. O que os dois têm em comum é o ponto de partida: cinco casais e um crime passional. E também cinco casais e a possibilidade do crime estar circunscrita aos cinco. (…)
Novos casais, novos conflitos. As pessoas evoluíram, há 32 anos as coisas eram mais contidas. Os conflitos são os mesmos, mas os comportamentos mudaram, as pessoas estão mais soltas, podem experimentar mais coisas.”

Os casais são quase os mesmos da obra original, mas com nomes de personagens diferentes. O autor batizou a maioria deles com os nomes do atores que os interpretaram em 1982. Assim, Enrique Diaz vive Cláudio, o equivalente ao personagem de Cláudio Marzo em 82. Maria Fernanda Cândido é Marília (de Marília Pêra), João Miguel é Hugo (de Hugo Carvana), Adriana Esteves é Tânia (de Tânia Scher), Perfeito Fortuna é Dionísio (de Dionísio Azevedo), Selma Egrei é Norma (de Norma Geraldy), e assim sucessivamente.
A exceção foi Denise (Paolla Oliveira), a prostituta que não existia na história original e levou o nome da atriz Denise Dumont, que interpretava a personagem agora vivida por Carol Abras – agora chamada de Susana, alusão a Susana Vieira que, em 82, viveu outra personagem.

Outro ponto que distancia o projeto atual do antigo é um casal homossexual no centro do drama. Paolla Oliveira e Martha Nowill são Denise e Daniela, duas mulheres apaixonadas que dividem o mesmo teto. Mas a personagem de Paolla leva uma vida dupla. Ela trabalha como garota de programa e vai entrar na história de vários personagens.

Grande destaque para Enrique Diaz, como o cínico Cláudio, e Paolla Oliveira, cujas cenas de nudez e sexo com Maria Fernanda Cândido ganharam repercussão nas redes sociais.

Sobre as gravações, comentou o diretor geral Fernando Meirelles:
“Decidimos usar a câmera um pouco abaixo da linha do olho para termos mais teto e mais céu de Brasília; usar bastante planos-sequência; abusar de planos gerais muito abertos; tentar mostrar Brasília sempre meio vazia e com pouca gente para deixar os personagens mais solitários em cena; evitar a decupagem clássica de plano-e-contra plano; realizar muita cena em carros para vermos a cidade e por aí vai. Recursos que não só dão coerência ao fio condutor, mas reforçam o estilo da minissérie.”

O cenário não é mais o Rio de Janeiro. A minissérie agora se passa em Brasília. E vista do alto. Os drones – veículos aéreos não tripulados – foram escolhidos pelo diretor para ajudar a contar a história. Foram 12 dias de filmagem com dois drones, cada um com uma câmera diferente.
“Pensamos nos drones porque eu queria fazer duas imagens nunca feitas antes: uma em que a câmera passasse entre os dois prédios do Congresso e outra passando por baixo da rampa e pelo meio dos arcos do Palácio da Alvorada. Como estávamos lá, e autorizados, aproveitamos e fizemos também ele voando entre os arcos do Itamaraty e do Palácio da Justiça. A cidade não tem fios, é muito boa para drone”, disse o diretor.

Uma equipe de mais de 200 pessoas, entre elenco, direção e produção, viajou para a capital federal a fim de filmar as cenas que ambientam a história. Fernando Meirelles apresenta a cidade por meio dos passos da personagem de Adriana Esteves. As filmagens mostraram o amanhecer de Brasília com Tânia praticando jogging pelas ruas. A Lagoa Paranoá também foi mostrada nas cenas em que Cláudio (Enrique Diaz) pratica remo, como esporte ou esconderijo para as transações ilegais. No Eixo Monumental, uma grande manifestação popular foi filmada com cerca de 200 figurantes.
Outras locações completam as filmagens que duraram um mês em Brasília, como a Torre de TV, o estádio Mané Garrincha, o Museu Nacional, o Congresso Nacional, a ponte Juscelino Kubischek e o Parque Nacional.
Outra equipe viajou para a Chapada dos Veadeiros para filmar cenas íntimas de Olga (Cássia Kis Magro) e Dionísio (Perfeito Fortuna) no Vale da Lua e na cachoeira, onde gravaram também os amantes Denise (Paolla Oliveira) e Cláudio (Enrique Diaz).

São Paulo também serviu de cenário. As gravações aconteceram na ex-mansão de Edemar Cid Ferreira, no bairro do Morumbi, que é administrada pela massa falida da Atalanta. Durante um mês, os mais de 4 mil metros quadrados de área construída permitiram que fossem rodadas, por dia, mais de uma frente de filmagem. A mansão serviu de locação para os ambientes de quase todos os personagens: da casa de Cláudio (Henrique Diaz) e Marília (Maria Fernanda Cândido) ao consultório médico de Tânia (Adriana Esteves).

Fernando Meirelles comentou sobre a trilha sonora:
“Temos uma consultora musical, a Ciça Meirelles, que é minha esposa. Ela selecionou 70 músicas para a minissérie. Em cada episódio, um clipe com músicas faz uma espécie de visita aos personagens. O tom geral das canções é mais reflexivo; é música de drama psicológico, se é que isso existe, temperada por vários outros estilos.”

Trilha Sonora
relação das músicas que constam no site da minissérie

O AMOR É FEIO – Tribalistas
NÃO QUERO DINHEIRO, EU SÓ QUERO AMAR – Marisa Monte
JUÍZO FINAL – Arnaldo Antunes
O AMOR É UM ROCK – Tom Zé
ALMA NÃO TEM COR – Karnak
MALVADA – Ataulfo Alves
MEU MUNDO CAIU – Alice Caymmi
COMO VÊS – Alice Caymmi
ANTES DE TUDO – Alice Caymmi
PARTÍCULAS DE AMOR – Lucas Santana
EX MAI LOVE – Gaby Amarantos
TENHO CIÚME DE TUDO – Bruno e Marrone
VOCÊ – Paralamas do Sucesso
AMADO – Vanessa da Matta
VALSE AU BEURRE BLANC – Ed Motta
UMBEWEGTE LAUE LUFT, OP 57 N.8 – Elly Ameling & Norman Shetler
VALSE TRISTE, OP. 44 – Jean Sibelius
EN EL ULTIMO TRAGO – Jose Alfredo Jimenez Sandoval
TRUST IN ME – Susheela Raman
STRANGE FRUIT – Billie Holiday
FORBIDDEN FRUIT – Nina Simone
MY BABY JUST CARES FOR ME – Nina Simone
MAY I COME IN? – Blossom Dearie
TETRISHEAD – Zoe Keating (tema abertura)
LEGIOS (WAR) – Zoe Keating (tema incidental)

Veja também

  • meumarido_logo

Meu Marido

  • quemamanaomata_logo

Quem Ama Não Mata

  • meudestinoepecar_logo

Meu Destino é Pecar

  • bradoretumbante_logo

O Brado Retumbante