Sinopse

Em Diamantina, Minas Gerais, a professora Júlia Kubitschek dá à luz o menino Juscelino. O pai da criança, João César de Oliveira, caixeiro-viajante e violeiro, está longe, trabalhando, quando recebe a notícia e a anuncia numa profética gargalhada: “Nasceu o futuro presidente do Brasil”. No entanto, João César não pode acompanhar o crescimento de seu filho, já que, dois anos mais tarde, ele morre, vítima de tuberculose.

Seus filhos, Juscelino e Naná, a filha mais velha, observam de longe a morte levar o pai, que lhes dá um inesquecível sorriso de despedida. No cortejo fúnebre, Nonô – apelido carinhoso de Juscelino – acredita ter visto o pai lhe piscar o olho, mesmo estando ele dentro do caixão e sendo levado para a sepultura. É isso o que faz o pequeno Nonô suportar com serenidade a falta de seu pai. No entanto, uma das conseqüências ruins da morte de João César afetará o menino durante toda sua infância e adolescência: a dificuldade financeira. Sem o marido para pôr dinheiro em casa, Júlia, tem de se virar sozinha para sustentar os filhos.

É ainda em seus dias de dificuldade financeira que Juscelino Kubitschek conhece Sarah, a mulher com quem ele há de se casar. Estudando e trabalhando em Belo Horizonte, o jovem não faz parte do grupo que freqüenta o Café Estrela nem tem dinheiro para ir ao célebre cabaré da espanhola Olímpia Garcia. Limita-se a, aos domingos, assistir ao footing da Praça da Liberdade. E é num desses domingos que ele vê Sarah passar ao lado de suas irmãs. Mas ela lhe parece inalcançável, pois é uma moça de família tradicional.

Mais tarde, quando Juscelino arruma um trabalho na enfermaria da Clínica Cirúrgica da Santa Casa, sua vida melhora um pouco. Ele já pode se dar o luxo de ir com os amigos ao cine Pathé ou ao Odeon e às festas beneficentes de BH. É num desses eventos que ele revê Sarah e a tira para dançar. Eles começam a namorar. O próximo passo é pedir Sarah em casamento a Dona Luisinha, mãe da moça. Surpreendentemente, não há oposição. O casamento, porém, só acontece depois que JK termina uma especialização em urologia, feita em Paris.

A carreira de JK é ascendente. Médico formado, ele atende os ricos em seu consultório, mas não se esquece dos pobres da Santa Casa. Naquele momento, Juscelino tem uma ambição: fazer parte do corpo médico do novo Hospital Militar, reformulado por Gustavo Capanema, amigo de seu concunhado Gabriel Passos. Juscelino é nomeado chefe do Serviço de Urologia com a patente de capitão-médico.

Com um currículo como esse, nada leva a crer que JK algum dia possa se interessar por política. Mas isso acontece, para horror de Sarah. Tudo que ela mais tinha medo na vida era de se tornar mulher de político.

Globo – 23h
de 3 de janeiro a 24 de março de 2006
47 capítulos

minissérie de Maria Adelaide Amaral e Alcides Nogueira
escrita por Maria Adelaide Amaral, Alcides Nogueira e Geraldo Carneiro
colaboração de Letícia Mey e Rodrigo Arantes do Amaral
consultoria histórica de Ronaldo Costa Couto
direção de Denis Carvalho, Amora Mautner, Vinícius Coimbra, Maria de Médicis e Cristiano Marques
núcleo Denis Carvalho

JOSÉ WILKER – Juscelino Kubitschek de Oliveira
MARÍLIA PÊRA – Sarah Kubitschek
WAGNER MOURA – Juscelino / Nonô (jovem)
DÉBORA FALABELLA – Sarah (jovem)
FÁBIO ASSUNÇÃO – João César de Oliveira
JÚLIA LEMMERTZ – Júlia Kubitschek
PAULO JOSÉ – Augusto Elias
JULIANA MESQUITA – Naná (jovem)
LUÍS MELLO – Coronel Licurgo
CÁSSIA KISS – Maria
DAN STULBACH – Zinque
ANA CECÍLIA COSTA – Madalena
CACO CIOCLER – Leonardo Faria
DEBORAH EVELYN – Salomé
ILYA SÃO PAULO – Joaquim
MARIA MANOELA – Celeste
RANIERI GONZALEZ – José Maria Alckmin (jovem)
MATEUS SOLANO – Júlio Soares (jovem)
ANDRÉ FRATESCHI – Odilon Bherens (jovem)
MARCELO LAHAM – Tales da Rocha Vianna (jovem)
PEDRO GARCIA – Pedro Nava (jovem)
OTÁVIO AUGUSTO – Benedito Valadares
MARCOS FRANÇA – Gustavo Capanema
LOUISE CARDOSO – Luisinha Negrão
RAFAELA MANDELLI – Amélia
MARCELO VÁRZEA – Gabriel Passos (jovem)
ROSANE ROLLAND – Maria Luísa
ANDRÉ BARROS – Clóvis Pinto
LUIZA MARIANI – Idalina (jovem)
CARMO DALLA VECCHIA – Carlos Vasconcelos
RAUL CORTEZ – Antônio Carlos Ribeiro de Andrada
ELIANE GIARDINI – Tarsila do Amaral
JOSÉ RÚBENS CHACHÁ – Oswald de Andrade
PASCHOAL DA CONCEIÇÃO – Mário de Andrade
LUCIANO CHIROLLI – Dr. Mata Machado
VICTOR FREELAND – Dr. Balena
MANOELA DO MONTE – Amália Brant
KELI FREITAS – Das Dores
ROBERTA RODRIGUES – Adosinda
ANA CARBATTI – Guiomar
CLARISSE ABUJAMRA – Lucinda Romão
TUNA DWEK – Olímpia Garcia
CHRISTOVAM NETO – Maciste
THAIS GARAYP – Dona Cota
NEWTON MARTINS – Olegário Maciel
ADRIANA LONDOÑO – Maria de Las Mercedes
JULIANA TERRA – Corina
ROBERTO FROTA – Coronel Fulgêncio de Souza Santos
CHICO EXPEDITO – Coronel Brandão
IDA GOMES – Irmã Maria
RODRIGO LIMA – Cabo Firmino
CHICO ANÍBAL – Padre Kobal
ISABELLA PARKINSON – Cândida
XANDO GRAÇA – Coronel Florêncio
GILLES GWIZDEK – padre
GILBERTO MARMOROS – Padre Estáquio
GERALDO PENINHA – Sica
MANOELITA LUSTOSA – parteira
ANTONIO CALLONI – Augusto Frederico Schmidt
ALESSANDRA NEGRINI – Yeda Ovalle Schmidt
RODRIGO PENNA – Oscar Niemeyer
PAULO GOULART – Israel Pinheiro
NATHÁLIA TIMBERG – Baronesa de Tibagi
DOMINGOS DE OLIVEIRA – Jaime Ovalle
EVA WILMA – Luisinha Negrão (velha)
ARICLÊ PEREZ – Júlia Kubitschek (velha)
DENISE DEL VECCHIO – Naná
TATO GABUS – Júlio Soares
PAULO BETTI – José Maria Alckmin
DÉBORA BLOCH – Dora Amar
LUCCI FERREIRA – Antenor
CLÁUDIA NETTO – Carmem Dulce
BETTY GOFMAN – Abigail Fernandes
JOSÉ DE ABREU – Carlos Lacerda
HUGO CARVANA – Jorge Sampaio
XUXA LOPES – Camilinha
GUILHERMINA GUINLE – Magui
OTÁVIO MÜLLER – Coronel Orozimbo Fialho
RICARDO BLAT – Tales da Rocha Vianna
CAMILO BEVILÁCQUA – Odilon Bherens
PAULO CARVALHO – Pedro Nava
JITMAN VIBRANOVSKI – Gabriel Passos
ANDRÉA MURUCCI – Idalina
MURILO GROSSI – Affonso Heliodoro dos Santos
EMÍLIO DE MELLO – Carlos Murilo
ISABELA GARCIA – Déa
CARLOS FERREIRA – Getúlio Vargas
LUDOVAL CAMPOS – Tancredo Neves
JORGE LUCAS – Celino
LETÍCIA SABATELLA – Marisa Soares
CAMILA MORGADO – Ana Rosemberg
ADRIANO STUART – Genaro Cavallini
MARÍLIA GABRIELA – Celita
PAULO NIGRO – Luis Felipe
BUKASSA KABENGUELE – Fred Moreno
MILA MOREIRA – Maria Alice
ARTHUR KOHL – General Lott
LUIZ ARTHUR – Geraldo Carneiro
SAMARA FELIPPO – Maria Estela Kubitscheck
ANDRÉIA HORTA – Márcia Kubitscheck
DANIEL DANTAS – Dr. Raul
MARCO ANTÔNIO PAMIO – Wilsinho
DOMINGOS MEIRA – Sérgio
PATRÍCIA WERNECK – Silvinha
DUDU AZEVEDO – Cássio
JÚLIA ALMEIDA – Helô
MARIANA XIMENEZ – Lílian Gonçalves
CÁSSIO GABUS MENDES – Gaúcho
REGINA BRAGA – Alzira
GABRIELA HESS – Judite
FÁBIO LAGO – Severino
CHRISTIANA GUINLE – Coracy
CLÁUDIO JABORANDY – Zé
TADEU DI PIETRO – Lúcio Costa
SÉRGIO VIOTTI – Adolpho Bloch
HÉLIO CÍCERO – Renato
IVO FERNANDES – Vitorino Freire
EVA TODOR – Carlota
DAKINE – Dulce Nunes
NANA GOUVEIA – Minon Vesúvio
JULIANO RIGHETO – João Milton Prates
ANDRÉ LOPES – Rodrigo
DANILO CAYMMI – Dorival Caymmi
MARCO RICCA – Roberto Marinho
TATIANA ALVIM – Beatriz
PLÍNIO SOARES – Guilherme de Almeida
JOHN VAZ – João Goulart (Jango)
ANA KUTNER – Sirlene
IVAN CÂNDIDO – Sobral Pinto
LAURO GÓES – Olavo Drummond
QUITÉRIA CHAGAS – Josephine Baker
WERNER SCHÜNEMANN – Bernardo Sayão
ARUANA ZAMBI – Augusta Generosa
IVAN FERNANDES – Carlos Drummond de Andrade
FLÁVIO BAURAQUI – Cartola
ALBERTO SZAFRAN – Nonô (criança, dos 12 aos 15 anos)
MARCOS VINÍCIUS BARCELLOS – Nonô (criança, dos 7 aos 10 anos)
VINÍCIUS MORENO – Nonô (3 anos)
MARCELA BARROZO – Naná (criança)
RAQUEL BONFANTE – Naná (criança)
MARC FRANKEN – Zinque (adolescente)
BIANCA LYRIO – Salomé (criança)
RHANI SEDA – Amália (criança)
RAFAEL MIGUEL – Antenor (criança)
ISABELA COIMBRA – Silvinha (adolescente)
MARIA MARIANA AZEVEDO – Márcia (criança)
BIANCA SALGUEIRO – Maria Estela (criança)

1ª fase

– núcleo de JUSCELINO KUBITSCHEK (Wagner Moura), jovem de origem humilde que se forma em Medicina e tem vertiginosa carreira política. Quando criança ganha o apelido de NONÔ:
a mãe DONA JÚLIA (Júlia Lemmertz), professora
o pai JOÃO CÉSAR (Fábio Assunção), alegre, caixeiro-viajante. Morre quando Nonô tem 3 anos de idade
a irmã MARIA DA CONCEIÇÃO, a NANÁ (Juliana Mesquita), mais velha um ano, com quem tem uma relação de muito amor e cumplicidade
o avô AUGUSTO ELIAS (Paulo José), pai de Júlia, que apresenta Nonô ao mundo dos livros e dos sonhos. Mora num sítio afastado de Diamantina
a pretendente em Diamantina AMÁLIA BRANT (Manoela do Monte)
o PADRE em Diamantina (Gilles Gwizdek).

– núcleo de SARAH LEMOS (Débora Falabella), jovem de família tradicional em Belo Horizonte com quem Juscelino se casa:
a mãe DONA LUISINHA (Louise Cardoso), viúva
as irmãs MARIA LUÍSA (Rosanne Holland), casada com CLÓVIS (André Barros),
AMÉLIA (Rafaela Mandelli), casada com GABRIEL PASSOS (Marcelo Várzea),
e IDALINA (Luiza Mariani), que se casa com CARLOS VASCONCELOS (Carmo Dalla Vecchia).

– núcleo do CORONEL LICURGO (Luís Melo), fazendeiro e chefe político de Diamantina. Mau caráter, oprime a família e tem perversões sexuais:
a mulher DONA MARIA (Cássia Kiss), católica fervorosa
o filho WASHINGTON, o ZINQUE (Dan Stulbach), de personalidade frágil, torturado pelo pai
o irmão de Maria, JOAQUIM (Ilya São Paulo), e sua mulher, CELESTE (Maria Manoella), que morre logo
a filha de Joaquim e Celeste, SALOMÉ (Deborah Evelyn), alvo do assédio do tio Licurgo. Chega a casar-se com o primo Zinque
a empregada GUIOMAR (Ana Carbatti), de quem Licurgo abusa e que se torna grande amiga de Salomé
a jovem MADALENA (Ana Cecília Costa), que engravida de Licurgo e que ele obriga a casar-se com Zinque. Morre afogada numa cheia do rio após Licurgo negar-lhe socorro
o menino ANTENOR (Rafael Miguel), filho de Licurgo e Madalena, registrado por Zinque. Após ver a mãe morrer, o menino fica traumatizado
a amante de Licurgo no início, ADONZINDA (Roberta Rodrigues).

– núcleo dos amigos de Nonô:
JOSÉ MARIA ALKMIN (Ranieri Gonzalez), a quem conhece desde a infância. Casa-se com a prima de Juscelino, DAS DORES (Keli Freitas). Os dois são grandes amigos e entram ambos para a política na mesma época
JÚLIO SOARES (Mateus Solano), com quem chega a abrir um consultório em sociedade. Júlio se casa com Naná
ODILON BEHRENS (André Frateschi), grande gozador da vida e do mundo
PEDRO NAVA (Pedro Garcia Netto), aluno aplicado na faculdade. Depois torna-se um dos mais respeitados escritores brasileiros.

– núcleo dos políticos:
BENEDITO VALADARES (Otávio Augusto), nomeado governador de Minas Gerais pelo presidente Getúlio Vargas. Conhecendo Juscelino durante a guerra entre Minas e São Paulo, aposta no potencial do rapaz e faz dele seu secretário da Casa Civil. Depois o nomeia prefeito da capital mineira
ANTÔNIO CARLOS (Raul Cortez, numa participação), chefe político de Minas e presidente do estado antes da guerra
GUSTAVO CAPANEMA (Marcos França), amigo da família de Sarah.

– núcleo da pensão em Belo Horizonte. Vão morar lá os personagens que saem de Diamantina e mudam-se para a capital, entre os quais Salomé e Guiomar:
a dona da pensão, DONA COTA (Thaís Garayp)
o estudante de Direito LEONARDO FARIA (Caco Ciocler), que custeia os estudos dançando num cabaré. Vai se envolver com Salomé e terá sua vida salva por Juscelino na guerra
a irmã de Leonardo, CORINA (Juliana Terra).

– núcleo de OLIMPIA GARCÍA (Tuna Dwek), dona de um bordel de luxo em Belo Horizonte. É lá que Leonardo e Salomé trabalham como dançarinos:
MACISTE (Christovam Neto), o guarda-costas do bordel
MARIA DE LAS MERCEDES (Adriana Londoño), prostituta
CÂNDIDA (Isabella Parkinson), jovem que Juscelino livra de ser estuprada em Passa Quatro por vários soldados durante a guerra. Vai trabalhar no bordel de Olimpia
CORONEL FLORÊNCIO (Xando Graça), que se casa com Cândida e a leva da casa de Olimpia.

– núcleo da Revolta Constitucionalista, da qual participa Nonô, como médico militar:
IRMÃ MARIA (Ida Gomes), freira francesa que auxilia Juscelino nos trabalhos no hospital durante a guerra
PADRE ALFREDO KOBAL (Chico Aníbal), que o médico conhece na guerra
CABO FIRMINO (Rodrigo Lima).

– demais personagens:
o médico DR. MATA MACHADO (Luciano Chirolli), que sempre incentivou Nonô em Diamantina, a seguir carreira na Medicina
o médico DR. BALENA (Victor Freeland), que cuidou de Nonô quando teve uma séria pneumonia na juventude
a atriz LUCINDA ROMÃO (Clarisse Abujamra), dona de uma companhia de teatro que se aparesenta em Diamantina e que mais tarde Nonô reencontra em Belo Horizonte.

2ª fase

– núcleo de JUSCELINO KUBITSCHEK (José Wilker), que depois de ser prefeito de Belo Horizonte, governador de Minas e deputado federal, chega à presidência da República:
a mulher SARAH LEMOS KUBITSCHEK (Marília Pêra), que de início é contra a entrada do marido na política mas depois se conforma e converte-se em sua maior aliada. Mulher de fibra, determinada e corajosa
as filhas MÁRCIA (Maria Mariana Azevedo / Andréia Horta) e MARIA ESTELA (Bianca Salgueiro / Samara Felippo), esta última adotada pelo casal
a mãe DONA JÚLIA (Ariclê Perez), agora aposentada. Já bem idosa, sente orguilho de ver o filho chegar aonde chegou
a irmã NANÁ (Denise Del Vecchio) e o o cunhado JÚLIO (Tato Gabus)
o criado de confiança JUSCELINO (Jorge Lucas)
os secretários pessoais MAJOR AFFONSO HELIODORO (Murilo Grossi) e GERALDO CARNEIRO (Luiz Arthur).

– núcleo de Sarah:
a mãe DONA LUISINHA (Eva Wilma), que sente muito orgulho da família. Morre antes de Juscelino ser eleito presidente
a irmã IDALINA (Andréa Murucci)
o cunhado GABRIEL PASSOS (Jitman Vibranovski)
a secretária SIRLENE (Ana Kutner).

– núcleo da pensão no Rio de Janeiro, então capital federal. Salomé vai morar lá com Guiomar quando se muda para o Rio fugindo do tio. Guiomar passa a ser a empregada na casa. Zinque também chega a morar na pensão, quando vai para a capital. Durante a ditadura ele é perseguido e acaba desaparecido e morto:
a dona da casa, BARONESA DE TIBAGI (Nathália Timberg), uma senhora fina e simpática que resolveu alugar quartos de seu imponente palacete depois da decadência
SILVINHA (Patrícia Werneck), a filha que Salomé não diz ser de Leonardo
ANTENOR (Lucci Ferreira), o filho de Licurgo e Madalena, já crescido
as artistas DORA AMAR (Débora Bloch), que se envolve com Antenor, e CARMEM DULCE (Cláudia Netto)
a jovem MARISA SOARES (Letícia Sabatella), filha de Cândida, que foi criada num ambiente de muita gratidão a Juscelino, por quem é apaixonada e de quem torna-se amante
a jornalista ANA ROSENBERG (Camila Morgado), que sente uma paixão platônica por Marisa
a mal-amada ABIGAIL (Betty Gofman), lacerdista ferrenha, apaixona-se por Antenor.

– núcleo do poeta AUGUSTO FREDERICO SCHMIDT (Antonio Calloni), grande partidário de Juscelino:
a mulher YEDA (Alessandra Negrini), bela e sem papas na língua, por quem é apaixonado. Sofre por não conseguir engravidar
o tio de Yeda, JAIME OVALLE (Domingos de Oliveira), intelectual.

– núcleo de Leonardo, que agora é deputado pela UDN, de oposição a Juscelino:
o filho SÉRGIO (Domingos Meira), fotógrafo num jornal, envolve-se com Ana Rosenberg
a jovem MAGUI (Guilhermina Guinle), filha de um milionário com quem se envolve e acaba casado
os pais de Magui, SAMPAIO (Hugo Carvana), um mau-caráter e CAMILINHA (Xuxa Lopes), que abandona o casamento para ser modista. Sampaio vai envolver-se com Marisa.

– núcleo de GENNARO CAVALLINI (Adriano Stuart), industrial italiano amigo de Sampaio. Machista e ultrapassado:
a mulher CELITA (Marília Gabriela), de família tradicional paulista. É internada pelo marido num hospício quando resolve dedicar-se ao canto
o filho do casal, LUÍS FELIPE (Paulo Nigro), bom rapaz, apaixona-se por Camilinha Sampaio, apesar da diferença de idade entre ambos
o pianista amigo de Celita FRED MORENO (Bukassa Kabenguele).

– núcleo de LÍLIAN GONÇALVES (Mariana Ximenes), moça de origem humilde que ascende e torna-se empresária da noite. Surge na trama quando sua família ruma para as obras da nova capital:
a mãe ALZIRA (Regina Braga), que teme que a filha se perca. Frustrada, busca refúgio no alcoolismo e vive das lembranças de sua paixão, o cantor Nelson Gonçalves, o pai de Lílian
a irmã JUDITE (Gabriella Hess), sua grande amiga
o cunhado SEVERINO (Fábio Lago), que a deseja
o trabalhador GAÚCHO (Cássio Gabus Mendes), com quem se envolve.

– núcleo dos amigos de Nonô:
JOSÉ MARIA ALKMIM (Paulo Betti), sempre ocupando posição de destaque no cenário político nacional
ODILON BEHRENS (Camilo Bevilacqua)
THALES DA ROCHA VIANNA (Ricardo Blat)
PEDRO NAVA (Paulo Carvalho)
CARLOS MURILO (Emílio de Mello), seu primo, e sua noiva DÉA (Isabela Garcia).

– demais personagens:
o amigo arquiteto OSCAR NIEMEYER (Rodrigo Penna), responsável por várias obras idealizadas por Juscelino, como a capital Brasília
o opositor político CARLOS LACERDA (José de Abreu)
o político ISRAEL PINHEIRO (Paulo Goulart), nomeado por Juscelino chefe das obras de Brasília
o coronel OROZIMBO FIALHO (Otávio Müller), de quem Dora se torna amante. Termina a minissérie com Abigail
o médico DR. RAUL (Daniel Dantas), apaixonado por Salomé
a modista MARIA ALICE (Mila Moreira), cujo atelier é freqüentado por Yeda e Camilinha
o colunista social WILSINHO (Marco Antônio Pâmio)
os jovens CÁSSIO (Dudu Azevedo), namorado de Silvinha, e HELÔ (Júlia Almeida), que se envolve com Luís Felipe
o jornalista RENATO ARCHER (Hélio Cícero)
o general HENRIQUE LOTT (Arthur Kohl), que garante a posse de Juscelino abafando um golpe planejado pela oposição.

– figuras históricas que apareceram na minissérie em pequenas participações:
os modernistas TARSILA DO AMARAL (Eliane Giardini), OSWALD DE ANDRADE (José Rúberns Chachá) e MÁRIO DE ANDRADE (Paschoal da Conceição)
GETÚLIO VARGAS (Carlos Ferreira)
TANCREDO NEVES (Ludoval Campos)
ADOLPHO BLOCH (Sérgio Viotti)
DORIVAL CAYMMI (Danilo Caymmi)
ROBERTO MARINHO (Marco Ricca)
JOÃO GOULART (John Vaz)
CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE (Ivan Fernandes).

A minissérie foi dividida em três fases: a primeira, com duração de um capítulo, mostrou o nascimento e a infância de JK; a segunda, com duração de 15 capítulos, destacou a faculdade de Medicina e a entrada na vida política, até a chegada à prefeitura de Belo Horizonte, e teve Wagner Moura como JK e Débora Falabella como Sarah Kubitschek. Por último, a trajetória do político até a Presidência da República, sua vida no exílio e o acidente que o levou à morte, desta vez com José Wilker e Marília Pêra interpretando o casal Kubitschek.

Embora Juscelino Kubitschek tenha nascido e crescido em Diamantina, a maior parte das cenas de sua infância e juventude foram gravadas em outra cidade mineira, Tiradentes. Tombada como Patrimônio Histórico Nacional desde 1938, Tiradentes tem diversas ruas que parecem ter congelado no tempo, o que proporcionou um cenário ideal para uma minissérie cuja história começa no início do século XX.

Ao todo a minissérie contou com cenas em Tiradentes, Diamantina e Belo Horizonte, em Minas Gerais, em Santos, no litoral Paulista, no Rio de Janeiro, e na capital brasileira, Brasília.

Maria Adelaide Amaral e Alcides Nogueira trabalharam durante um ano em cima de pesquisas sobre JK, contando com a colaboração de Madalena Prado e a consultoria de Ronaldo Costa Couto. Para contar os 74 anos de história, os autores desenvolveram uma sinopse de 120 páginas.

Um dos maiores trabalhos da equipe de cenografia de JK foi mostrar na tela da TV o processo de construção de lugares já edificados, como o Complexo da Pampulha, em Belo Horizonte (MG), e Brasília (DF). Mário Monteiro, cenógrafo responsável pela minissérie, e equipe, ergueram na Central Globo de Produção uma maquete retratando o projeto da Pampulha e outra de Brasília, sendo que esta última teve o tamanho de um campo de futebol e foi utilizada como cenário.

A abertura foi produzida em homenagem a Oscar Niemeyer. A animação foi desenvolvida através de traços do arquiteto, que foi o responsável pelos projetos da capital brasileira durante o governo de JK.

Numa participação especial, os atores José Rúbens Chachá, Eliane Giardini e Paschoal da Conceição, que já havia vivido Oswald de Andrade, Tarsila do Amaral e Mário de Andrade, respectivamente, na minissérie Um Só Coração, voltaram a interpretar os mesmos personagens em JK. A visita dos artistas a Belo Horizonte, mostrada na minissérie, realmente aconteceu, em 1924. O trio e outros amigos mostravam o interior do Brasil ao poeta francês Baixe Cendrars, que visitava o país pela primeira vez.

A Editora Globo lançou o livro Juscelino Kubitschek, O Presidente Bossa Nova, uma das biografias publicadas que aproveitam a exibição da minissérie. O prefácio foi assinado pela própria Maria Adelaide Amaral.

Geraldo Carneiro, co-autor da minissérie, teve a história de seu pai, que foi secretário particular de JK, retratada na minissérie a partir do capítulo 19, exibido em 02/02/2006.

A atriz Ariclê Perez faleceu em 26/03/2006, dois dias depois de terminar JK, na qual interpretava a mãe do protagonista. Ela havia finalizado sua participação na minissérie na semana anterior. A atriz, que tinha 62 anos, caiu do décimo andar de seu prédio, no bairro de Higienópolis, São Paulo.

Reprisada em forma compacta, em 39 capítulos, de 19/08 a 02/10/2008, apenas para Brasília, enquanto o restante do país assistia à propaganda eleitoral gratuita do TRE. Curiosamente, essa reprise foi mostrada para todo o território nacional através de antena parabólica após sua apresentação já ter se iniciado em Brasília, depois de 11 capítulos exibidos, a partir do dia 01/09, a partir da fase em que Juscelino Kubitschek já era governador de Minas Gerais.
Reprisada também no canal Viva (canal de TV por assinatura pertencente à Rede Globo), entre 18/09 e 21/11/2012, às 23h15.

Trilha Sonora

jkt
01. PEIXE VIVO – Milton Nascimento (tema de abertura)
02. SÁBADO EM COPACABANA / COPACABANA – Gal Costa
03. NUNCA – Zizi Possi
04. OUÇA – Maysa
05. ESTE SEU OLHAR – Dick Farney
06. SE TODOS FOSSEM IGUAIS A VOCÊ – Sylvia Telles
07. CHEGA DE SAUDADE – Tom Jobim
08. CAMINHEMOS – Maria Bethânia e Nelson Gonçalves
09. PRESIDENTE BOSSA NOVA – Juca Chaves
10. CANÇÃO DE AMOR – Elizeth Cardoso (tema de Marisa)
11. ALGUÉM COMO TU – Dick Farney (tema de Salomé)
12. MENINA MOÇA – Tito Madi
13. A FELICIDADE – Agostinho dos Santos
14. AQUELES OLHOS VERDES – Trio Irakitan (tema de Yeda Schmidt)
15. BROTO LEGAL – Sérgio Murilo
16. A VIZINHA DO LADO – Dorival Caymmi (tema de Dora Amar)
17. MOCINHO BONITO – Dóris Monteiro
18. CHOVE LÁ FORA – Elizeth Cardoso
19. BALADA TRISTE – Agostinho dos Santos
20. MULHER – Emílio Santiago (tema de Maggie Sampaio)

Tema de Abertura: PEIXE VIVO – Milton Nascimento

A minh´alma chorou tanto
Que de pranto está vazia
Desde que aqui fiquei
Sem a tua companhia

Não há pranto sem saudade
Nem amor sem alegria
E é por isso que eu reclamo
Essa tua companhia

Como pode o peixe vivo
Viver fora da água fria
Como pode o peixe vivo
Viver fora da água fria

Como poderei viver
Como poderei viver
Sem a tua, sem a tua
Sem a tua companhia
Sem a tua, sem a tua
Sem a tua companhia

Os pastores desta aldeia
Ja me fazem zombaria
Os pastores desta aldeia
Ja me fazem zombaria

Por me verem assim chorando
Por me verem assim chorando
Sem a tua, sem a tua
Sem a tua companhia
Sem a tua, sem a tua
Sem a tua companhia…

Veja também

  • umsocoracao_logo

Um Só Coração

  • queridosamigos_logo

Queridos Amigos

  • dercy_logo

Dercy de Verdade