Sinopse

Através de suas memórias, Bibiana (Fernanda Montenegro) volta no tempo para conhecer a trajetória de seus antepassados: começando com as aventuras de sua avó e referência, Ana Terra (Cléo Pires), e seguindo ao longo de três gerações da família Terra Cambará, de 1680 até 1845: o Capitão Rodrigo Cambará (Thiago Lacerda), seu marido, Bolívar (Ígor Rickli), seu filho, Luzia (Mayana Moura), a “teiniaguá”, sua nora.

A trama começa com Bibiana já bem idosa, relembrando a história de sua família, ao olhar para a emblemática árvore que fica em frente à sua casa. Suas lembranças voltam no tempo até a então jovem Ana Terra e sua história de solidão e perseverança ao criar sozinha seu filho em um universo dominado por homens.

Ao avançar no tempo, a história chega até a Bibiana jovem (Marjorie Estiano) e apaixonada pelo capitão Rodrigo. Segue acompanhando a vida de Bibiana e de sua família, que acaba envolvida em disputas de terra e poder. Ao mesmo tempo, intercalando as recordações de Bibiana, o sobrado da família Cambará, sob a chefia de Licurgo (Marat Descartes), resiste ao cerco dos Maragatos, chefiados pelo velho coronel Bento Amaral (Leonardo Medeiros).

Globo – 23h
de 1 a 3 de janeiro de 2014
3 capítulos

roteiro de Letícia Wierzchowski e Tabajara Ruas
baseada na obra de Érico Veríssimo
direção de Jayme Monjardim
produção de Rita Buzzar (Nexus Cinema e Vídeo), Beto Rodrigues (Panda Filmes) e Globo Filmes

Ana Terra e as Missões
CLÉO PIRES – Ana Terra (jovem)
SUZANA PIRES – Ana Terra (meia-idade)
MARTIN RODRIGUEZ – Pedro Missioneiro (jovem)
MATHEUS COSTA – Pedro Missioneiro (criança)
LUIZ CARLOS VASCONCELOS – Maneco Terra
CYRIA COENTRO – Henriqueta Terra
JOSÉ HENRIQUE LIGABUE – Antônio Terra
EDUARDO CORRÊA – Pedro Terra (criança)
CÉSAR TRONCOSO – Padre Alonzo
LUIZ PAULO VASCONCELLOS – Cura
APOLÔNIO FARIAS – escravo
ALEXANDRE FARIAS – escravo

Bibiana e o Sobrado
THIAGO LACERDA – Capitão Rodrigo Cambará
MARJORIE ESTIANO – Bibiana (jovem)
JANAÍNA KREMER – Bibiana (meia-idade)
FERNANDA MONTENEGRO – Bibiana (velha)
JN CANABARRO – Juvenal Terra
MARAT DESCARTES – Licurgo
ÍGOR RICKLI – Bolívar Cambará
MAYANA MOURA – Luzia
RAFAEL CARDOSO – Florêncio (jovem)
DANNY GRIS – Florêncio (velho)
RAFAEL TOMBINI – Pedro Terra (meia-idade)
LUIZA OLLÉ – Arminda (meia-idade)
VANESSA LÓES – Maria Valéria
ELISA VOLPATTO – Alice
MIGUEL RAMOS – Fandango
CARLOS CUNHA – Agnaldo Silva
JOÃO FRANÇA – capataz
KAIC CRESCENTE

Santa Fé
JOSÉ DE ABREU – Coronel Ricardo Amaral
PAULO GOULART – Coronel Ricardo Amaral Neto
LEONARDO MEDEIROS – Bento Amaral
CACÁ AMARAL – Pedro Terra (velho)
ÁUREA BAPTISTA – Arminda (velha)
CRIS PEREIRA – Juvenal Terra
ZÉ ADÃO BARBOSA – Padre Lara
GISELLE ALVES – Maruca
LUÍS FRANKE – Nicolau
FERNANDA C. LEITE – Paula
LEONARDO MACHADO – Marciano Bezerra
FENANDA MORO – Josefa
ROBERTO BIRINDELLI – Dentinho de Ouro

Segundo filme do aclamado diretor de televisão Jayme Monjardim. O anterior foi Olga, em 2004.

A exemplo dos filmes O Bem Amado e Chico Xavier (em 2011), Xingu (em 2012) e Gonzaga, de Pai para Filho (em 2013), a Globo apresenta na primeira semana de 2014, em formato de minissérie (em 3 capítulos), o filme O Tempo e o Vento, com inserção de cenas inéditas e novos personagens, nova edição e montagem para a versão televisiva. O filme foi lançado nos cinemas em setembro de 2013.

Transposição para a telona da primeira parte da trilogia de Érico Veríssimo que se encontra nos dois volumes de O Continente, compreendendo cerca de 150 anos de história da formação do Rio Grande do Sul: Ana Terra, centrada numa personagem feminina, criando um contraponto à luta pela conquista da fronteira e destacando situações afetivas, como maternidade, fidelidade, etc; Um Certo Capitão Rodrigo, sobre a formação do gaúcho no século XIX; A Teiniaguá, com destaque para os conflitos psicológicos da narrativa; e O Sobrado, focalizando as lutas políticas da região.

O filme é uma produção de Rita Buzzar, da Nexus Cinema e Vídeo, Beto Rodrigues, da Panda Filmes, e Globo Filmes, com distribuição da Downtown.

A obra de Érico Veríssimo já havia sido adaptada para a TV como novela, produzida pela TV Excelsior entre 1967 e 1968, com Geórgia Gomide (Ana Terra), Carlos Zara (Capitão Rodrigo) e Maria Estela (Bibiana).
E pela própria Globo, como minissérie, em 1985, com Glória Pires (Ana Terra), Tarcísio Meira (Capitão Rodrigo) e Louise Cardoso, Lílian Lemmertz e Lélia Abramo (Bibiana).
No filme de Jayme Monjardim, Cléo Pires vive Ana Terra, a mesma personagem defendida por sua mãe, Glória Pires, na minissérie de 1985.
José de Abreu, que interpretou Juvenal Terra em 1985, volta agora como o Coronel Ricardo Amaral.

Para a adaptação cinematográfica, tomou-se como estrutura o olhar feminino da quase centenária Bibiana Terra Cambará (Fernanda Montenegro). Em meio ao cerco do casarão de sua família pelos Amarais, ela se valerá de sua memória, sempre deflagrada em noites de vento, para lembrar e contar sua história e as de seus antepassados. E, assim, resistir ao tempo e protestar contra a morte.

A belíssima fotografia do filme – que ressalta as paisagens e a luminosidade do sul do país – é do premiado diretor de fotografia Affonso Beato, com quem Jayme Monjardim já trabalhou na minissérie Maysa, em 2009.

A trilha sonora foi criada ao longo de sete meses. Gravada com a Orquestra Sinfônica de Budapeste e com o Coro adulto e infantil, o CD contém 25 faixas, entre elas uma inédita composta e interpretada por Maria Gadú especialmente para o filme.
Alexandre Guerra, arranjador de todas as faixas, se inspirou nas visitas ao set de filmagem para a criação das músicas. A trilha amplia o ar épico ao apostar em músicas instrumentais que até lembram a usada na minissérie da década de 1980.

Em Bagé (RS), no Parque do Gaúcho, foi construída a cidade de Santa Fé, com 17 edificações em uma área de 10 mil metros quadrados. Mais de 150 pessoas trabalharam para que a cidade descrita por Érico Veríssimo ganhasse vida. A cidade fica de herança para o município de Bagé.

Jayme Monjardim já havia ido ao sul gravar uma super-produção que contava parte da história do Rio Grande Sul: a minissérie A Casa das Sete Mulheres, exibida em 2003, que também tinha Thiago Lacerda como um dos protagonistas (Giuseppe Garibaldi).

Trilha Sonora Original: Alexandre Guerra

tempo14t
01. LIBERDADE A VENTO
02. HISTÓRIA DE PEDRO ÍNDIO
03. ATAQUE À MISSÃO
04. APARIÇÃO DO CAPITÃO RODRIGO
05. ANA TERRA VAIRAÇÕES
06. TEMA PEDRO MISTERIOSO
07. DEVOLVENDO A ADAGA
08. MORTE DE PEDRO ÍNDIO
09. MORTE MÃE ANA TERRA
10. DEPOIS DO ATAQUE CASTELHANO
11. PARTIDA DE ANA TERRA
12. LEMBRANÇAS DE ANA TERRA
13. BATALHA
14. PASSAGEM DE TEMPO ANA TERRA
15. UM CERTO CAPÍTÃO RODRIGO
16. BELEZA TRISTE
17. UM CAPITÃO NERVOSO
18. GUERRA FARROUPILHA
19. ROMÂNTICO RODRIGO
20. ENTERRANDO CAPÍTÃO RODRIGO
21. O SOBRADO
22. UMA VALSA PARA LUZIA
23. RENDIÇÃO E PAZ
24. O TEMPO E O VENTO – PARTE FINAL
25. STONE WALLS – Maria Gadú

Veja também

  • tempoeovento85

O Tempo e o Vento (1985)

  • tendadosmilagres_logo

Tenda dos Milagres

  • tempoeovento67

O Tempo e o Vento (1967)