Sinopse

Plácido, quando criança, era super inteligente mas levou um tombo e toda genialidade foi embora. Adulto, é um bancário meio apagado. Sua genialidade só volta quando toma o refrigerante Super Plá, transformando-se num herói charmoso e inteligente. Passado o efeito da bebida, ele não se lembra de suas aventuras. Volta a ser o bancário desenxabido que passa as horas de folga lendo histórias em quadrinhos.

Também a peculiar história de amor entre Joana Martini e Baby Stompanato. Ela é ex-vedete do teatro de revista da Praça Tiradentes que se tornou dona da fábrica dos refrigerantes Super Plá, a partir do casamento com Inácio, um velho que não se aguenta em pé. E Baby Stompanato é um marginal, traficante, protótipo do gangster norte-americano, mas acima de tudo um bonachão que venceu na vida.

E também a história de Majô Prado, uma milionária cheia de conflitos e com destaque na sociedade.

Tupi – 20h
de 1 de dezembro de 1969
a 16 de maio de 1970

novela de Bráulio Pedroso
escrita por Bráulio Pedroso e Marcos Rey
direção de Wálter Avancini, Antônio Abujamra e Benjamin Cattan

Novela anterior no horário
Beto Rockfeller

Novela posterior
As Bruxas

RODRIGO SANTIAGO – Plácido
BETE MENDES – Titina
MARÍLIA PÊRA – Joana Martini
HÉLIO SOUTO – Baby Stompanato
IRENE RAVACHE – Majô Prado
JOFRE SOARES – Jonas Jazão
WÁLTER FORSTER – Dr. Werneck
KARIN RODRIGUES – Lucy
OTHON BASTOS – Thompson
ELÍSIO DE ALBUQUERQUE – Argemiro
MARGARIDA REY – Frau Guilhermina
ANA ROSA – Pepita
ANTÔNIO PEDRO – Arquibaldo
MACHADINHO (AUGUSTO MACHADO DE CAMPOS) – Inácio
JAYME BARCELLOS – Cabrão
MARIA STELA SPLENDORE – Silvana
CHICO MARTINS – Dr. Menezes
EUDÓXIA ACUÑA – Babete / Silvana (a falsa)
PAULO VILLAÇA – Cícero
OTÁVIO AUGUSTO – Silas
LÉA CAMARGO – Maria do Carmo
CARLOS DUVAL – Maitre
NELLO PINHEIRO – Mr. Zeca
ANTÔNIO GHIGONETTO – Guru
BEATRIZ BERG – Dona Tetê
CLEIDE KIARA – Dália
LUIZ D´AVILA – Monke
PATSY – Clarice
DIAS BARRETO – Manfredo
KATE HANSEN
PEDRO PAULO RANGEL
NEY LATORRACA
JONAS BLOCH
DEIVY ROSE
PATRÍCIA MAYO
DALVA DIAS
WÁLTER MARINS
JÚLIA MIRANDA
ALCEU NUNES
MARILDA PEDROSO
JOSÉ DE FREITAS

Depois do sucesso de Beto Rockfeller, o autor Bráulio Pedroso apresentava uma proposta interessante: uma mistura de cinema, teatro, TV e história em quadrinhos.

Bráulio partiu do real para o imaginário, apelando para a farsa com muito humorismo, romance e aventura. Os traços de caráter dos personagens foram exacerbados ao máximo, beirando o absurdo. (*)

Cada personagem baseava-se em figuras conhecidas. Joana Martini (Marília Pêra), por exemplo, tinha semelhança com Joan Crawford. O personagem de Jofre Soares era baseado no Tio Patinhas, e Titina (Bete Mendes), uma cega que vendia flores, lembrava a florista do filme Luzes da Cidade de Chaplin.

“Aquilo era uma fantasia, um delírio, acima de tudo, uma gozação, que Bráulio considerava entre suas obras mais criativas. Inclusive haviam cenas que só vinham com uma rubrica do que deveria acontecer, os diálogos corriam por conta da improvisação dos protagonistas. O ator e diretor Antônio Pedro achava ótimo, uma delícia de se fazer, mas concordava que, no fundo, era uma proposta realmente subversiva demais.” (**)

Mas o resultado final não foi o esperado. Com a vida encurtada, terminou sem sucesso.

Bráulio Pedroso foi afastado e Marcos Rey assumiu o texto mudando a história, tirando personagens, conduzindo a comédia apoiado nos personagens de Irene Ravache e Rodrigo Santhiago.

Mesmo assim os personagens Baby Stompanato e Joana Martini renderam ao autor Bráulio Pedroso o espetáculo A Vida Escrachada de Joana Martini & Baby Stompanato – com a mesma dupla de atores da novela: Hélio Souto e Marília Pêra.
“Marília Pêra conta que era tão gostoso gravar a novela que o Hélio Souto e ela imploraram ao Bráulio, ele gostou da ideia, reescreveu, e o resultado foi um sucesso teatral espetacular (…)” (**)

Em 1976, motivado pelo sucesso da peça teatral, Bráulio Pedroso pretendia levar uma versão de A Vida Escrachada de Joana Martini & Baby Stompanato para a Globo, como novela das 22 horas, estrelada por Marília Pêra e Marco Nanini. Porém, a Censura do Regime Militar vetou a sinopse e o projeto não foi adiante.

Primeira novela da atriz Kate Hansen.

Por sua atuação na novela, Rodrigo Santiago foi premiado com o Troféu Imprensa de revelação masculina na televisão em 1969.

Chamada de estreia da novela: (*)
Beto Rockfeller, uma revolução na TV brasileira. E agora, Super Plá, vinte anos à frente em termos de telenovela!”

(*) Fonte: De Noite Tem… Um Show de Teledramaturgia na TV Pioneira, Mauro Gianfrancesco e Eurico Neiva, Giz Editorial, 2007.
(**) Fonte: Bráulio Pedroso, Audácia Inovadora, Renato Sérgio, Imprensa Oficial do Estado de SP, 2011.

Trilha Sonora 1
superplat1
01. JAM UP JELLY TIGHT – Tommy Roe
02. I CAN FEEL IT – Blue Magoos
03. IF THEY LET US ALONE NOW – Wool
04. 24 HOURS FROM TULSA – O’ Kaysions

Trilha Sonora 2
superplat2
01. TEMA DE AMOR DE TITINA (I’m Gonna Get Married) – Sunday
02. MEMORY BAND – Rotary Connection
03. GREAT BIG BUNDLE OF LOVE – Brenton Wood
04. ONE FOR MY BABY – Pat Briley

Trilha Sonora 3
superplat3
01. NOI CI AMAMO – Noi Giovanni
02. JUST ONE SMILE – Everyday People
03. LOVE IN YOUR EYES – Magic Swirling Ship
04. MELTING POT – The Cherry Pink
05. I AIN’T GOT NO SOUL TODAY – Señor Soul
06. WIGHT IS WIGHT – The King Creoles
07. VERY NICE INDEED – Panco Boys
08. HIER, AUJOURD’HUI, DEMAIN – Uta
09. WHY DON’T YOU TRY ME – Maurice & Mac
10. I’M IN THE MOOD OF LOVE – Esther Phillips
11. THE INTERNATIONAL LOVE SONG – The Real Thing
12. WHITHER THEE GIRL – Don Cooper
13. UN RAGAZZO, UNA RAGAZZA – Memo Remigi
14. I’M GONNA GET MARRIED – Sunday

Trilha Sonora 4
superplat4
01. IT’S YOUR LIFE – Andy Kim
02. LAY A LITTLE LOVIN’ ON ME – Robin McNamara
03. FALLIN IN LOVE – The Illusion
04. MARY ON THE BEACH – Hank Shifter

Veja também

  • cafona_logo

O Cafona

  • bofe_logo

O Bofe

  • betorockfeller_logo

Beto Rockfeller