Falcão Negro







Falcão Negro foi uma das primeiras séries de ação da TV Tupi.

A princípio era exibida duas vezes por semana, ao vivo, passando, mais tarde, a uma exibição diária.

Suas aventuras eram escritas por Péricles Leal que abusava da astúcia de seu personagem e lhe dava capacidades quase sempre ilimitadas.

Como não existia uma rede única, só uma padronização geral, existiam diversos "Falcões" pelo Brasil. Em São Paulo José Parisi e no Rio de Janeiro Gilberto Martinho.

Como o programa era transmitido ao vivo, tornava-se comum o improviso e os acidentes de trabalho durante a exibição das aventuras. Numa seqüência de ação na Tupi carioca, o ator Jece Valadão acertou pra valer um banquinho na cabeça de Gilberto Martinho, o herói do seriado. O ator desfaleceu e Jece teve que improvisar ao vivo, modificando o final da cena. O autor foi obrigado a escrever às pressas novos capítulos que mostrassem a recuperação do personagem. Dezenas de telespectadores telefonaram perguntando se o Falcão Negro havia morrido.

Um aspirante a ator chamado Oliveira Sobrinho ganhou um pequeno papel em Falcão Negro, na Tupi paulista. Seu personagem era o arqueiro Pé-de-Coelho, mensageiro do herói. Oliveira Sobrinho, ou melhor, José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, seria conhecido mais tarde como Boni, que veio a ser vice-presidente de operações da TV Globo.

A série ganhou uma versão em quadrinhos que estreou em 1958, pela editora Garimar.

Veja também:
Capitão 7
Turma do 7
Lever no Espaço
O Vigilante Rodoviário

 




   


© Teledramaturgia - 2010.
site idealizado e mantido por
Nilson Xavier
3dGarage