Sinopse

A trama gira em torno de Maria Helena, uma pequena órfã que ligará todos os personagens. Atingindo a idade de ser transferida para outro orfanato, ela sente-se insegura e amedrontada. A sua única amiga é Sueli, que descobre o paradeiro de seu pai, Nelson, um playboy, amante do mar, irmão do famoso cirurgião plástico Miguel Fragonard, com quem ele tem uma relação conturbada.

Enquanto isso, desenrola-se o drama de Lígia, mulher de fibra, descasada, com dois filhos pequenos, que luta para manter seu status de classe média. Ela acaba apaixonada por Nelson, mas ele é o oposto do tipo de homem que sempre procurou. Ao fugir do amor de Nelson, Lígia se envolve com Miguel, sem saber que eles são irmãos.

Globo – 20h
de 4 de fevereiro a 9 de agosto de 1980
159 capítulos

novela de Gilberto Braga
colaboração de Manoel Carlos
direção de Roberto Talma e Paulo Ubiratan
direção geral de Roberto Talma

Novela anterior no horário
Os Gigantes

Novela posterior
Coração Alado

BETTY FARIA – Lígia Prado
REGINALDO FARIA – Nelson Fragonard
RAUL CORTEZ – Miguel Fragonard
TÔNIA CARRERO – Stella Fraga Simpson
LUCÉLIA SANTOS – Janete
FÁBIO JÚNIOR – Marcos
BEATRIZ SEGALL – Lourdes Mesquita
CLÁUDIO CAVALCANTI – Edir
NATÁLIA DO VALLE – Márcia
ÂNGELA LEAL – Sueli Bandeira
GLÓRIA PIRES – Sandra
KADU MOLITERNO – Bruno
JOSÉ LEWGOY – Kleber
ARLETE SALLES – Celeste
MAURO MENDONÇA – Evaldo Maia Neves
ELOÍSA MAFALDA – Irene
CARLOS EDUARDO DOLABELLA – Heitor Sampaio
TAMARA TAXMAN – Selma Rocha
FERNANDO EIRAS – Alfredo
JORGE FERNANDO – Jader
MARIA PADILHA GONÇALVES – Beth
TEREZINHA SODRÉ – Marinete
ARACY CARDOSO – Vilma
FRANCISCO DANTAS – Marciano
EDSON SILVA – Lafayette
ILVA NIÑO – Antônia
JACQUELINE LAURENCE – Clarice
MARIA HELENA PADER – Mary
IVAN CÂNDIDO – Técio
MARIA ZILDA – Gilda
JOSÉ CARLOS SANCHES – Lúcio
CLEMENTINO KELÉ – Tinhorão
MARIA ALICE MANSUR – Cristina
TICIANA STUDART – Lia
as crianças
ISABELA GARCIA – Maria Helena
JOÃO CLÁUDIO MELO – Paulo Roberto
WALESCA SOUTO MAIOR – Patrícia
e
ÁLVARO AGUIAR – Turíbio
ANA MARIA SAGRES – senhora que se sente ofendida quando Beth faz topless na praia
ANTÔNIO PATIÑO – Dr. Gumercindo (delegado que prende Nelson quando ele é acusado de contrabando por culpa de Evaldo)
BEKI KLABIN como ela mesma
CARLA MARINS – menina na festa de aniversário da filha de Lígia
CLEYDE BLOTA – Marlene (com quem Lourdes fecha uma venda)
DANTON JARDIM – Edson (médico da clínica de Miguel, um dos namorados de Stella)
DARY REIS – Joel (cuidava dos barcos de Nelson e Técio, assume a culpa pelo assassinato de Miguel)
DAVID PINHEIRO – ator na peça de Stella, no final
DENNY PERRIER – amigo francês de Lourdes que a acompanha ao show de Maria Bethânia, no Canecão
DESIRÉE VIGNOLLI – Luciana
ÊNIO SANTOS – Delegado Rômulo Siqueira (investiga o assassinato de Miguel)
ÉRICA KUPPER – Roberta (filha de Marciano)
FERNANDO AMARAL – Serpa (detetive contratado por Lourdes para descobrir quem era a namorada de Marcos – Janete)
GIOVANNI MAGDALENA – marinheiro que trabalhava para Nelson
GRANDE OTHELO – Canivete (comparsa de Evaldo quando ele se finge de padre, no final)
HAROLDO MACEDO – Poti (o namorado negro de Stella)
HEMÍLCIO FRÓES – Mauro (para quem Nelson tenta vender sua arma)
HENRIETTE MORRINEAU – Jojô Besançon (amiga rica de Stella que leva Sueli para Paris)
ISABELA BICALHO – Francisquinha (amiguinha de Maria Helena no orfanato)
ÍSIS KOSCHDOSKI – Cíntia (uma namorada de Nelson, no início)
IVAN MESQUITA – Detetive Milton Sarpo (revela a Miguel as falcatruas de Kleber, acaba assassinado por ele)
JARDEL MELLO – Carlos
JOANA ROCHA – Paula (copeira de Stella)
JOÃO LUIZ – Galdino (office-boy na agência de turismo de Nelson)
JOHN HERBERT – Jaime Alves Cardoso (homem refinado com quem Stella se envolveu, na verdade um ladrão de joias)
LAURA VASCONCELOS (ou MÁRCIA VASCONCELOS) – Cláudia (moça rica com quem Alfredo se casa, no final)
LÍCIA MAGNA – Edite (empregada de Nelson, no início)
LUCY MAFRA – Rosa (fisioterapeuta de Kleber)
MÁRCIA VELOSO – Amélia (empregada na casa de Evaldo)
MARCO MIRANDA – José (porteiro de um prédio que chama um táxi para Stella, quando ela está bêbada e vestida de palhaço)
MARIA EUGÊNIA VILLARTA – Cátia (amiga de Sandra)
MARIA HELENA DIAS – Clara (diretora do orfanato onde morou Maria Helena)
MILTON MORAES – Sérgio (ex-marido de Lígia, casou-se com Celeste, morre no início)
NILDO PARENTE – Fonseca (advogado responsável pelos negócios de Stella)
ORION XIMENES – Valtinho (repórter amigo de Evaldo que publica no jornal fotos de Stella com Marcos)
PAULO PINHEIRO – Barbosa (amigo de Kleber a quem Nelson vai pedir emprego de economista)
PAULO RAMOS – Rodrigo (namorado de Stella por quem ela pede a Miguel um trabalho na clínica dele)
RICARDO BLAT – Jofre
RICARDO PETRÁGLIA – Max (diretor de teatro que lança Stella como atriz, no final)
ROGACIANO DE FREITAS – advogado
TÂNIA LOUREIRO – Luciana (aluna de Edir, de quem Márcia sente ciúmes)
TETÊ MEDINA – Lucy (primeira mulher de Miguel, mãe de Sandra, morre no início)
TONY FERREIRA – Valdir (vai trabalhar na agência de turismo de Nelson)
VERA MANCINI – secretária de Márcia
WALDIR SANTANNA – jornaleiro da banca próxima à casa de Janete
ZDENEK HAMPL – Yan (assistente de fotografia que trabalha com Bruno)
Adolfo (cabeleireiro de Stella)
Bia (paquera de Alfredo)
Dr. Cardoso (dono da clínica onde Marcos trabalhou, no início)
Dudu (namorado de Lia)
Lauro (amigo de Stella)
Mateus Silveira (desfaz uma promessa de negócio com Lourdes após ela ser denunciada por Janete)
Olívia (amiga de Sandra)
Petrônio (motorista de Stella)
Ruth (trabalha na agência de turismo de Nelson)
Sidinei (copeiro de Lígia)
Silvio (copeiro de Miguel)
Zuleica (manicure que trabalha com Marinete)

– núcleo de LÍGIA (Betty Faria), mulher bonita e charmosa que luta para manter o status e dar uma boa vida para os filhos:
o marido no início da novela, HEITOR (Carlos Eduardo Dolabella), de quem logo se separa
a amiga traidora SELMA (Tamara Taxman), que “rouba” Heitor dela
o ex-marido SÉRGIO (Milton Moraes), morre nos primeiros capítulos
a mulher de Sérgio, CELESTE (Arlete Salles), de quem fica amiga, apesar de se detestarem no início
o empregado em sua loja de roupas LÚCIO (José Carlos Sanches)
os filhos pequenos PAULO ROBERTO (João Cláudio Melo), filho com Sérgio, e PATRÍCIA (Waleska Souto Maior), filha com Heitor
a babá das crianças CRISTINA (Maria Alice Mansur).

– núcleo de NELSON FRAGONARD (Reginaldo Faria), um playboy boa vida que foi enganado por falsos amigos e acabou na miséria. Tinha uma filha pequena, fato que desconhecia. Lígia e ele acabam apaixonados, mas ela é incapaz de assumir a relação por causa dos problemas dele:
o marinheiro TINHORÃO (Clementino Kelé), toma conta de seu barco
a empregada (no início) EDITE (Lícia Magna)
o falso amigo TÉCIO (Ivan Cândido), que morre no início. Ele transferiu para Nelson os seus negócios falidos deixando-o praticamente na miséria. Mais tarde, descobriu-se o golpe: Técio não havia morrido e estava em Miami.

– núcleo de MIGUEL FRAGONARD (Raul Cortez), um famoso cirurgião plástico, irmão de Nelson com quem não tinha contato por causa da relação conturbada deles. Viúvo, envolveu-se com Lígia, sem que ela suspeitasse que ele e Nelson eram irmãos. Acabou misteriosamente assassinado:
a mulher LUCY (Tetê Medina), que morreu no início, na explosão de uma lancha
a filha SANDRA (Glória Pires)
o motorista MARCIANO (Francisco Dantas)
a enfermeira em sua clínica MARY (Maria Helena Pader)
o copeiro SILVIO.

– núcleo de JANETE (Lucélia Santos), garota batalhadora, bom caráter, contestadora e de ideias firmes. Discorda dos pais, principalmente por eles serem dependentes financeiramente de sua tia:
o pai EVALDO (Mauro Mendonça), um trambiqueiro metido em negócios ilícitos
a mãe VILMA (Aracy Cardoso), mulher complacente com o marido
a tia solteirona IRENE (Eloísa Mafalda), praticamente sustenta a família do irmão Evaldo, trabalha na clínica de Miguel. No final, casou-se com Marciano
a amiga LIA (Ticiana Studart)
a empregada AMÉLIA (Márcia Veloso).

– núcleo de LOURDES MESQUITA (Beatriz Segall), mulher arrogante. No início era dona de uma firma que organizava festas e eventos para a alta sociedade carioca. Depois, em dificuldades financeiras, passou a negociar obras de arte:
o filho MARCOS (Fábio Jr.), estudante de Medicina, vai trabalhar na clínica de Miguel. Lourdes queria que o filho se casasse com Sandra, que era rica, mas ele se apaixonou por Janete, apesar da mãe ser contra essa relação, já que Janete era pobre
a filha MÁRCIA (Natália do Valle), sócia em sua empresa que, depois, monta sua própria firma
o genro EDIR (Cláudio Cavalcanti), marido de Márcia, que ela detesta por incompatibilidade de gênios e ideais de vida. Ele e Márcia tinham problemas conjugais porque ela queria uma vida melhor, mas incompatível com o salário de professor de História dele
CLARICE (Jacqueline Laurence), professora de Francês, colega de Edir, vizinha de Lourdes
a empregada ANTÔNIA (Ilva Niño), que depois vai trabalhar na casa de Edir e Márcia e, por fim, na casa de Nelson.

– núcleo de STELLA FRAGA SIMPSON (Tônia Carrero), socialite excêntrica, liberada, moderna e divertida. Amiga de Miguel, Nelson e Lourdes. Coleciona namorados, sempre com rapagões. Entendiada, ao final, decide tornar-se atriz:
o ex-marido e melhor amigo KLEBER (José Lewgoy). Administrava os bens de Nelson e acabou lhe roubando. Miguel descobriu esse fato e Kleber o matou para que não fosse denunciado. Ao final, descoberto, foi preso e cumpriu pena
o filho BRUNO (Kadu Moliterno), fotógrafo, melhor amigo de Nelson, apaixonado por Janete e, depois, por Sandra
a manicure MARINETE (Terezinha Sodré), fofoqueira por excelência
a amiga GILDA (Maria Zilda), que chegou a envolver-se com Kleber
o mordomo LAFAYETTE (Edson Silva)
a copeira PAULA (Joana Rocha).

– núcleo de SUELI (Ângela Leal), vizinha de um orfanato (no início), fez de tudo para descobrir o paradeiro do pais da pequena órfã MARIA HELENA (Isabela Garcia), a quem adorava como a uma filha. Acabou encontrando o pai: Nelson, por quem apaixonou-se. Sofreu com a indiferença dele, mas acabou dando o grito de independência, incentivada por Stella e a amiga dela JOJÔ BESANÇON (participação especial de Henriette Morineau), que a levou para Paris, de onde voltou totalmente transformada:
o irmão JADER (Jorge Fernando), mecânico boa-praça e trabalhador, apaixonou-se por Sandra
os jovens amigos de Jader com quem dividia um apartamento na Zona Sul: BETH (Maria Padilha), também amiga de Sandra,
e ALFREDO (Fernando Eiras), com quem Lourdes teve um envolvimento, mas acabou trocada por uma jovem no final.

Este foi o trabalho de Gilberto Braga que se seguiu ao sucesso de Dancin’ Days (1978), mostrando, desta vez, a vida da classe rica à beira-mar.

Uma novela de charme e envolvimento, “ensolarada”, com muitas gravações externas, fazendo um excelente painel dos costumes e do Rio de Janeiro da passagem da década de 1970 para 1980.

Uma das inspirações foi o musical americano Annie, sobre a história de uma graciosa menina órfã – na novela, Maria Helena, vivida por Isabela Garcia, com 12 anos na época.

A partir do capítulo 60, Gilberto Braga contou, a seu pedido, com a colaboração de Manoel Carlos, marcando a estreia dele como novelista no horário nobre da Globo.

A tentativa de ascensão de Lígia (Betty Faria), a decadência da “posuda” Lourdes Mesquita (Beatriz Segall), as excentricidades da milionária Stella Simpson (Tônia Carrero), a dura luta de Edir (Cláudio Cavalcanti) e Márcia (Natália do Valle), o misterioso assassinato de Miguel Fragonard (Raul Cortez) e a história de amor entre Marcos (Fábio Jr.) e Janete (Lucélia Santos) conseguiram criar o clima exato para manter a atenção do telespectador ao longo dos seis meses de novela.

Stella Simpson foi para Tônia Carrero o seu melhor papel em TV. A atriz foi eleita pela APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte) a Melhor Atriz de 1980 na Televisão (juntamente com Dercy Gonçalves, pela novela Cavalo Amarelo, e Regina Duarte, pela série Malu Mulher).
Curiosamente, Stella Simpson não era a personagem que inicialmente estava destinada a Tônia. Ela iria fazer Lourdes Mesquita, mas Boni (diretor artístico da Globo na época) leu alguns capítulos e solicitou a troca, pois Stella precisava de mais charme.

Não seria a única vez que Tônia Carrero ficaria sem o papel de vilã em uma novela de Gilberto Braga: a outra foi em Louco Amor, em 1983.

Graças à troca, Beatriz Segall fez sua primeira megera na TV: a promotora de eventos Lourdes Mesquita. Gilberto havia matado a personagem da atriz em Dancin’ Days (1978), no primeiro terço da novela, por falta de função na história. Desde então, o novelista quis escrever um grande papel para ela.

Odete Roitman, personagem de Beatriz em Vale Tudo (1988), por ocasião dos preparativos para o casamento do filho, comenta que “essa é uma tarefa tão importante que não a confiaria nem a Lourdes Mesquita!”

Destaque também para a personagem de Lucélia Santos, Janete, uma jovem de idéias muito firmes, discordando profundamente dos pais, que viveram toda vida na dependência da tia solteirona, Irene (Eloísa Mafalda).
O nome da personagem – Janete – era uma homenagem à amiga e mestra de Gilberto, Janete Clair.

A maior maldade de Lourdes Mesquita foi chantagear Janete com fotos que incriminavam o seu pai num caso de contrabando. Lourdes não queria o envolvimento da garota com seu filho Marcos (Fábio Jr.) porque ela era pobre. Janete recusou fazer a vontade de Lourdes (abandonar Marcos) e acabou ela mesma por denunciar o pai Evaldo (Mauro Mendonça), que foi parar atrás das grades.

No capítulo 39, exibido em 19/03/1980, foi ao ar (implicitamente) o primeiro baseado da TV brasileira! O personagem Alfredo (Fernando Eiras) enrolou tranquilamente seu cigarrinho de maconha. No script, o autor indicava apenas a rubrica: “Alfredo arrumando alguma coisa”. O núcleo jovem da novela voltou a dividir um baseado em algumas outras cenas.
Fonte: “Almanaque da TV”, de Bia Braune e Rixa.

As atrizes Tônia Carrero, Glória Pires, Maria Zilda e Maria Padilha passaram por uma situação, no mínimo, inusitada. Escaladas para uma externa, tendo como cenário o Posto 9, em Ipanema, as atrizes gravariam uma cena onde simulariam um topless, utilizando apenas um par de adesivos para cobrir os seios. A reação dos curiosos ao topless foi repreender as atrizes.
“Quando os curiosos perceberam que faríamos topless, nos expulsaram da praia jogando latas e areia”, lembrou Maria Padilha.
As cenas tiveram de ser gravadas em outro local, São Conrado.

O primeiro suspense da novela Água Viva aconteceu fora de cena: em uma sequència em alto-mar, o ator Kadu Moliterno e um cinegrafista nadaram para fugir de um tubarão.

Por volta do fim da novela, Leonor Bassères lançou o livro Água Viva, inspirado nas 3200 laudas escritas por Gilberto Braga para a novela. Leonor, amiga de Gilberto, passou a colaborar com ele em suas novelas a partir de então.

A socialite Beki Klabin, figura badalada na época da novela e que serviu de inspiração para a personagem Stella Simpson, fez uma participação em Água Viva, como ela mesma, em uma festa na casa de Stella.

O próprio Gilberto Braga apareceu no último capítulo, no lançamento da peça em que Stella atuou.

A futura atriz Carla Marins, ainda criança na época, teve uma rápida aparição na novela, na festa de aniversário da filha de Lígia (em que Stella se fantasiou de palhaço).

Marcante a cena em que Lígia se fecha com Selma (Tamara Taxman) em um banheiro e lhe dá uma surra, que a deixa sangrando.
Gilberto Braga reescreveria essa cena em 2004, para sua novela Celebridade, em que Maria Clara Diniz (Malu Mader) dá uma surra na antagonista, Laura (Cláudia Abreu), no banheiro de uma casa de shows.

A 21 capítulos do final de Água Viva, Miguel Fragonard (Raul Cortez) foi misteriosamente asassinado. O mistério manteve-se até o fim, quando foi revelado que o assassino era Kleber (José Lewgoy). No passado, Kleber havia sido tutor dos irmãos Nelson (Reginaldo Faria) e Miguel Fragonard. Miguel havia descoberto que Kleber, que administrava os bens de Nelson, era o responsável pela sua falência financeira. Kleber terminou os seus dias na cadeia, escrevendo suas memórias.
Este foi o primeiro dos vários “quem matou” em novelas de Gilberto Braga.

Pesca submarina e windsurf foram esportes náuticos divulgados pela novela. O windsurf popularizou-se por conta da abertura, que mostrava várias velas coloridas no mar.

As trilhas sonoras – tanto a nacional quanto a internacional, repletas de sucessos das FMs da época – venderam muito. O tema da abertura – a bela canção Menino do Rio, de Caetano Veloso, interpretada por Baby Consuelo – tornou-se um hit instantâneo, e ainda hoje está diretamente associado à novela. Impossível não ouvir a música e não lembrar de Água Viva.

A gravadora Continental, por ocasião do lançamento da trilha internacional de Água Viva, lançou também uma coletânea com os temas internacionais da novela, porém em gravações não originais. A capa do disco também era semelhante. Ficou evidente para a Som Livre o oportunismo da Continental.

Apesar de não constar na trilha da novela, o cantor jamaicano Peter Tosh, de passagem pelo Brasil, gravou uma participação especial, cantando em uma festa na casa de Stella.

O primeiro título pensado para a novela foi Vento Norte.

Água Viva foi premiada com o Troféu Imprensa de melhor novela de 1980.

Primeira novela da atriz Maria Padilha (que assinava seu nome completo na época, Maria Padilha Gonçalves).
Também a primeira novela de Raul Cortez na Globo (ele vinha da Tupi).

Alguns atores do elenco de Água Viva foram escalados (no ano seguinte) para a novela Baila Comigo, de Manoel Carlos, também dirigida pela dupla Roberto Talma e Paulo Ubiratan: Betty Faria, Reginaldo Faria, Raul Cortez, Natália do Valle, Cláudio Cavalcanti, Arlete Salles, Terezinha Sodré e Maria Helena Pader.
Água Viva e Baila Comigo tinham algumas características em comum que as tornavam muito parecidas, principalmente por serem tramas urbanas, cariocas, e “ensolaradas”, ou seja, com muitas externas mostrando as belezas do Rio de Janeiro.

Reapresentada no Vale a Pena Ver de Novo, de 13/02 a 31/08/1984, Água Viva foi a primeira novela das oito reprisada à tarde, quebrando um padrão de que apenas novelas das seis ou sete horas eram reapresentadas nesta faixa.
Curiosamente, a Globo decidiu pelo repeteco de Água Viva (ou conseguiu sua liberação) em cima da hora, depois de terem ido ao ar chamadas do retorno de Elas por Elas.

Água Viva foi reprisada também no canal Viva (canal de TV por assinatura pertencente à Rede Globo), entre 30/09/2013 e 05/04/2014, à meia-noite (com reprise ao meio-dia do dia seguinte).

Em 2014, a Globo Marcas lançou o box de DVDs da novela.

Trilha Sonora Nacional

aguat1
01. GRITO DE ALERTA – Maria Bethânia (tema de Lígia e Nelson)
02. DESESPERAR JAMAIS – Simone (tema de Sueli e, depois, tema de Lígia)
03. ALTOS E BAIXOS – Elis Regina (tema de Lígia)
04. VINTE E POUCOS ANOS – Fábio Jr. (tema de Marcos e Janete)
05. NOITES CARIOCAS – Gal Costa (tema de Stella)
06. MENINO DO RIO – Baby Consuêlo (tema de abertura)
07. REALCE – Gilberto Gil (tema de Bruno)
08. AMOR, MEU GRANDE AMOR – Ângela Ro Ro (tema de Sandra)
09. NO TEMPO DOS QUINTAIS – Elizeth Cardoso
10. PEITO VAZIO – Lúcia Araújo (tema de Sueli)
11. WAVE – João Gilberto (tema de Nelson)
12. CAIS – Milton Nascimento (tema de Nelson)

Trilha Sonora Internacional

aguat2
01. LEAD ME ON – Maxine Nigthingale (tema de Sueli)
02. LOVE I NEED – Jimmy Cliff
03. DO THAT TO ME ONE MORE TIME – Susan Case & Sound Around (tema de Lourdes)
04. SHIPS – Barry Manilow (tema de Nelson)
05. D.I.S.C.O. – Ottowan
06. JUST WHEN I NEEDED YOU MOST – Tony Wilson (tema de Lígia e Nelson)
07. MEMORIES – Bianchi (tema de Maria Helena)
08. BABE – Styx (tema de Edir e Márcia)
09. JUST LIKE YOU DO – Carly Simon (tema de Lígia e Miguel)
10. I DON’T WANT TO FALL IN LOVE AGAIN – Voyage
11. CRUISIN’ – Smokey Robinson (tema de Marcos e Janete)
12. THE SECOND TIME AROUND – Shalamar
13. NEVER (GONNA LET YOU GO) – Charme (tema de Sandra)
14. MANDOLAY – La Flavour

ainda
SWEET´N SOUR – The Crusaders (tema da vinheta de “estamos apresentando”)
SLIPPIN´ AWAY – Ben Moore *
DISCONNECTED – New View featuring Ann Calvert *
(WHO WERE WITH YOU) IN THE MOONLIGHT – Dollar *
SUPERNATURAL – Richard Orange *
AFTER LOVE HAS GONE – Noon & Midnight *
SLEAZY – Village People *
CLASSICAL DANCIN’ – Walter Murphy
LE SUD – Paul Mauriat

* As músicas em questão fazem parte do LP Disco 80, uma coletânea lançada pela Som Livre no finalzinho de 1979 e que embalou festinhas em Água Viva quando sua trilha sonora internacional oficial ainda não havia sido lançada.
Fonte: blog Porcos, Elefantes e Doninhas, de Daniel Couri.

A gravadora Continental, por ocasião do lançamento da trilha sonora internacional de Água Viva, lançou também uma coletânea com os temas internacionais da novela, porém em gravações não originais. A capa do disco também era semelhante. Ficou evidente para a Som Livre o oportunismo da Continental.
aguavivacd_fake

Sonoplastia: Antônio Faia e Guerra Peixe Filho.
Produção Musical: Guto Graça Mello

Tema de Abertura: MENINO DO RIO – Baby Consuêlo

Menino do Rio
Calor que provoca arrepio
Dragão tatuado no braço
Calção, corpo aberto no espaço
Coração de eterno flerte
Adoro ver-te
Menino vadio
Tensão flutuante do Rio
Eu canto prá Deus proteger-te

O Havaí, seja aqui
O que tu sonhares
Todos os lugares
As ondas dos mares
Pois quando eu te vejo
Eu desejo o teu desejo

Menino do Rio
Calor que provoca arrepio
Tome esta canção como um beijo…

Veja também

  • brilhante_logo

Brilhante

  • dancindays_logo

Dancin´ Days

  • loucoamor_logo

Louco Amor

  • corpoacorpo_logo

Corpo a Corpo