Bastidores

A série As Cariocas marcou a volta do diretor Daniel Filho à TV, depois de mais de 10 anos afastado – seu último trabalho foi a novela Suave Veneno (1999).

Adaptada por Euclydes Marinho, foi inspirada na obra homônima de Sérgio Porto – também conhecido como Stanislaw Ponte Preta – e trouxe 10 histórias adaptadas para os dias de hoje sobre 10 mulheres moradoras de 10 bairros da cidade do Rio de Janeiro.

Apenas quatro dos dez episódios são crônicas do livro que deu origem ao programa: A Noiva do Catete, A Desinibida do Grajaú, A Desquitada da Tijuca (que na série virou A Atormentada da Tijuca) e A Grã-Fina de Copacabana (que na série virou A Invejosa de Ipanema).

Os outros seis episódios foram criados especialmente para o programa.
No livro há mais duas crônicas: A Donzela da Televisão e A Currada de Madureira, mas nenhum episódio da série apresentou qualquer semelhança com essas crônicas.

Os nomes das personagens também foram alterados quando passaram do livro para a televisão: Em A Desquitada da Tijuca / A Atormentada da Tijuca, Marta virou Clarissa. Em A Grã-Fina de Copacabana / A Invejosa de Ipanema, Sarita virou Cris. Em A Noiva do Catete, Luci virou Nádia. E em A Desinibida do Grajaú, Marlene virou Michele.

No episódio A Adúltera da Urca, Júlia, vivida por Sonia Braga, era casada com Cacá, interpretado por Antonio Fagundes, e melhor amiga de Malu, Regina Duarte. Daniel Filho falou que estes nomes eram, na verdade, uma homenagem a trabalhos anteriores dele e do elenco:
“Quando estávamos lendo o texto resolvemos trocar o nome para Júlia. E, logicamente, se ela se chama Júlia, o Fagundes tem que se chamar Cacá”, disse, explicando que se tratava de uma referência ao casal da novela Dancin’ Days (1978), vivido pelos mesmos protagonistas.
O nome Malu foi inspirado na personagem de Regina Duarte no seriado Malu Mulher (1979-1980). Mas não foi tudo programado. As mudanças foram surgindo depois que o elenco foi fechado.

Longe da dramaturgia desde 2001, quando participou da novela Um Anjo Caiu do Céu, Angélica voltou à ficção na pele da carioca Maria Teresa, do episódio A Traída da Barra, e fazendo par com seu marido na vida real, o apresentador Luciano Huck.

Michele, a carioca do episódio A Desinibida do Grajaú, era pra ser originalmente interpretada por Juliana Paes, que teve que recusar devido a gravidez de seu primeiro filho e acabou sendo substituída por Grazi Massafera.

A Desinibida do Grajaú já havia sido apresentado na Globo, em 1994, como um “caso especial” dentro da faixa Quarta Nobre. A desinibida em questão era Andréa Guerra.

Das 10 atrizes, apenas 4 são fluminenses, sendo também cariocas: Fernanda Torres, Cintia Rosa, Adriana Esteves e Deborah Secco. As demais, Alessandra Negrini, Angélica, Alinne Moraes e Paola Oliveira são paulistas, já Sônia Braga e Grazi Massafera, paranaenses.

O sucesso de As Cariocas rendeu uma segunda temporada à série, em 2012, batizada de As Brasileiras, já que as personagens e as histórias eram relativas ao Brasil.

Globo – 22h
de 19 de outubro a 21 de dezembro de 2010
10 episódios

criação de Daniel Filho
inspirada na obra de Sérgio Porto
redação final de Euclydes Marinho
texto da narração de Geraldo Carneiro
escrito por Adriana Falcão, Clarisse Falcão, Claudia Tajes, Gregório Duvivier e Marcelo Saback
direção de Cris D’Amato e Amora Mautner
direção geral de Daniel Filho

ALINNE MORAES – Nádia (a noiva do Catete, 19/10/2010)
com
ÂNGELO ANTÔNIO – Carlinhos
PEDRO NERCESSIAN – Nelsinho
NELSON BASKERVILLE – Fagundes
THERESA AMAYO – Dona Zeni
HIRANYH CARNEIRO – Dona Ernestina

ADRIANA ESTEVES – Celi (a vingativa do Méier, 26/10/2010)
com
AILTON GRAÇA – Djalma
BÁRBARA PAZ – Denise
JOAQUIM LOPES – Carlos
AGILDO RIBEIRO – Alberto
MYRIAM PÉRSIA – Dona Jacira

PAOLA OLIVEIRA – Clarissa (a atormentada da Tijuca, 02/11/2010)
com
GABRIEL BRAGA NUNES – Gilberto
DENISE DUMONT – Taci
IVAN DE ALMEIDA – Miro
MARIA MARIANA – Betânia
FERNANDO CEYLÃO – Jorge
CHARLES FRICKS – Heitor
ANA FERRAZ – Amélia

FERNANDA TORRES – Cris (a invejosa de Ipanema, 09/11/2010)
com
LUIZ GUSTAVO – Gustavo
GUILHERME FONTES – Luis Felipe
LAVÍNIA VLASAK – Julinha
RAFAEL PRIMO – Chiquinho

CINTIA ROSA – Gleicy (a internauta da Mangueira, 16/11/2010)
com
EDUARDO MOSCOVIS – Armando
PRETA GIL – Gláucia
MARCOS WINTER – Detetive Helber
FERNANDO CARUSO – Ivan
FLÁVIO BAURAQUI – Edmilson

SÔNIA BRAGA – Júlia (a adúltera da Urca, 23/11/2010)
com
ANTÔNIO FAGUNDES – Cacá
REGINA DUARTE – Malu
DALTON VIGH – César Borges

GRAZI MASSAFERA – Michele (a desinibida do Grajaú, 30/11/2010)
com
MARCELO D2 – Weskley
JOANA FOMM – Dona Denise
ISABELA GARCIA – Dona Irene
FERNANDO EIRAS
BERNARDO CASTRO – Ismaelzinho
CARLA DANIEL – Dona Esperança
ARAMIS TRINDADE – Seu Eugênio
ALICE BORGES – Dona Lourdes
CHICO TENREIRO – Seu Arnaldo

ALESSANDRA NEGRINI – Marta (a iludida de Copacabana, 07/12/2010)
com
ERIBERTO LEÃO – Eduardo
THIAGO LACERDA – Silvinho
ROBERTA RODRIGUES – Suelen
CRISTIANE AMORIN – Paulinha
KARINE CARVALHO – Liana

DEBORAH SECCO – Alice (a suicida da Lapa, 14/12/2010)
com
CÁSSIO GABUS MENDES – Roberto

ANGÉLICA – Maria Tereza (a traída da Barra, 21/12/2010)
com
LUCIANO HUCK – Augusto César
ROSI CAMPOS – Penélope
LEONA CAVALLI – Rita
LUÍS MIRANDA – Margarete
JÚLIO UCHOA – Charles

Trilha Sonora

cariocast
01. BELA FERA – Pedro Luís e a Parede
02. MAGRA – Lenine
03. TÔ FORA – Roberta Sá e Trio Madeira Brasil (participação de Moyseis Marques)
04. MENINA – Mart’Nália
05. SÓ LOVE – Nina Becker
06. TEMPO DE ESTIO – Olívia Byington
07. SAMBA DO CARIOCA – Elza Soares
08. QUE PENA “ELA JÁ NÃO GOSTA MAIS DE MIM” – João Cavalcanti
09. SÓ O ÔME – Ney Matogrosso
10. MALANDRO – Alcione
11. OUTRA VEZ – Fabio Allman
12. SEGURA NEGA (ao vivo) – Monobloco
13. SEM COMPROMISSO – Marcos Sacramento
14. A NECESSIDADE – Marcelo D2

Tema de Abertura: BELA FERA – Pedro Luís

Bela, bela, bela!
Ela anda na rua
Como quem passa na passarela
O mundo é dela!

Linda, doce, fera!
Seu corpo provoca engarrafamento
Mudança de vento
Faz fila de espera

Demorou, perdeu a vez
Vacilou, casa caiu
A bela é carioca
Mas é da cor do Brasil…

Veja também

  • brasileiras_logo

As Brasileiras