Sinopse

A saga da família Cambará na luta pela posse de terras, a mistura das raças, as lutas políticas.

Tem início com a lendária Ana Terra, uma mulher destemida que enfrentou com coragem e luta as agruras de seu tempo. O auge se dá na geração de Bibiana, neta de Ana Terra e casada com o famoso Capitão Rodrigo Cambará.

Excelsior – 21h30
de julho de 1967 a março de 1968
210 capítulos

novela de Teixeira Filho
baseada na obra de Érico Veríssimo
direção de Dionísio Azevedo

Novela anterior no horário
O Morro dos Ventos Uivantes

GEÓRGIA GOMIDE – Ana Terra
CARLOS ZARA – Capitão Rodrigo Cambará
MARIA ESTELA – Bibiana
ALTAIR LIMA – Licurgo
FLORA GENY – Maria Valéria
GIANFRANCESCO GUARNIERI – Padre Alonso
MAURÍCIO DO VALLE – Rafael Pinto Bandeira
CARMINHA BRANDÃO – Henriqueta
EDMUNDO LOPES – Maneco Terra
SILVIO FRANCISCO – Antônio
TONY VIEIRA – Horácio
DAVID JOSÉ – Pedro Missioneiro
MARIA ISABEL DE LIZANDRA – Eulália
ADOLFO PINTO – Pedrinho Terra
RENATO CONSORTE – Padre Lara
MARIA CECÍLIA – Arminda
CASTRO GONZAGA – Ricardo Amaral
WÁLTER AVANCINI – Bento Amaral
HEMÍLCIO FRÓES – Pedro Terra
NELSON TURINI – Nicolau
MARIA APARECIDA ALVES – Rosinha
MÁRIO ERNESTO – Ramón
MAURÍCIO NABUCO – Afonso
JACYRA SILVA – Amância
VANJA ORICO
MILTON RIBEIRO – Índio Sepé Tiaraju
MARACI MELLO – Índia da Fonte
IVANICE SENA
RUY REZENDE
GERALDO LOUZANO
ÍRIS BRUZZI
PROCÓPIO FERREIRA
e o bebê ROGÉRIO CORRÊA como Pedrinho Terra (filho de Ana Terra)

Outra grande produção da Excelsior, que buscou em nossa literatura o entrecho central.

O incentivo foi o sucesso de As Minas de Prata, que a mesma emissora apresentou às 19h30.

A novela foi dividida em três partes, cada uma realizada separadamente: A Fonte e Ana Terra, com 30 capítulos cada, e Capitão Rodrigo, com 150 capítulos. Muitas vezes os atores passavam 24 horas dentro do estúdio, e não foram raras as cenas de confraternização entre os câmeras, diretores e atores depois de um momento mais emocionante.

Uma carta de Érico Veríssimo enfeitou a sala de Geórgia Gomide por anos. No texto do escritor, ele incluiu elogios à interpretação da atriz no papel de Ana Terra, protagonista da novela. “A carta foi muito mais importante para mim do que qualquer prêmio”, garante Geórgia, que foi chamada de “filha” por Érico.

Carlos Zara afirmou que Capitão Rodrigo Cambará foi o melhor personagem de toda sua carreira, “Érico era um ótimo escritor e sua obra é uma maravilha. Até hoje, o público que não esquece do Capitão acha que nasci no Rio Grande do Sul devido ao forte sotaque”, declarou Zara, natural de Campinas.

As cenas externas da novela eram gravadas na Vila Guilherme (onde funciona hoje o SBT) e nem sempre saíam como estavam previstas. Na primeira externa, Carlos Zara subiu num cavalo e ficou esperando o início da gravação. Como demorou muito, o ator acabou dormindo e acordou no chão. “O cavalo deu um galope e eu caí com revólver, violão, facão, espada, espora”, disse Zara.

Primeira novela de Gianfrancesco Guarnieri. Sobre essa sua estréia, o ator declarou em depoimento ao livro Glória in Excelsior, de Álvaro de Moya:
“Eu fui para a Excelsior convidado pelo Wálter Avancini para fazer o primeiro episódio de O Tempo e o Vento, que era A Fonte. Até esse momento eu não fazia novela porque era a época do grande preconceito contra a telenovela… mas não adiantava negar que ela estava se tornando o melhor mercado de trabalho para o ator conseguir fazer o que pretendia no teatro… assim eu entrei na Excelsior.”

Reza a lenda que muitas seqüências tiveram que ser repetidas pelos atores por causa de um papagaio que fazia parte da história. A ave rapidamente aprendeu a dizer as palavras “atenção, silêncio, gravando” no meio das cenas!

O Tempo e o Vento foi a última novela das 21h30 na Excelsior.

Por seu trabalho, Dionísio Azevedo foi premiado com o Troféu Imprensa o melhor diretor de novelas de 1967. Walter Avancini, que atuou em O Tempo e o Vento (como o personagem Bento Amaral), levou o prêmio de melhor ator coadjuvante daquele ano.

Em 1985, o romance de Érico Veríssimo ganhou uma nova adaptação para a TV, por Doc Comparato, em forma de minissérie, com Glória Pires (como Ana Terra), Tarcísio Meira (como o Capitão Rodrigo) e Louise Cardoso, Lílian Lemmertz e Lélia Abramo (como Bibiana).

Em 2013, chegou aos cinemas a versão cinematográfica da obra: o filme de Jayme Monjardim, com Cléo Pires (como Ana Terra), Thiago Lacerda (como o Capitão Rodrigo), e Marjorie Estiano, Janaína Kremer e Fernanda Montenegro (como Bibiana), entre outros. O filme foi apresentado como microssérie (3 capítulos) na Globo, em janeiro de 2014.

Veja também

  • excelsior60

A Mansão dos Vampiros

  • maisforteQueoOdio_foto

Mais Forte que o Ódio

  • redencao

Redenção

  • minasdeprata_logo

As Minas de Prata

  • tempoeovento85

O Tempo e o Vento (1985)