Sinopse

Laura é uma linda mulher, misteriosa e calculista. Viúva e milionária, é dona absoluta de uma empresa metalúrgica. Desde que enviuvou, não se apaixonou por ninguém. Vive numa redoma esperando que alguém reaqueça seu coração. Alberto é o diretor executivo da empresa de Laura, seu braço-direito, há anos apaixonado por ela mas que não consegue se declarar por causa de sua personalidade fria e misteriosa.

Laura aguça a curiosidade de todos que a cercam ao colocar um anúncio no jornal oferecendo vinte milhões de cruzeiros a quem decifrasse seu enigma. O anúncio desperta interesse num grupo de pessoas que passam a se relacionar com ela.

Bandeirantes – 20h
de 4 de abril a 22 de julho de 1983
95 capítulos

novela de Jorge Andrade
escrita por Jorge Andrade e Jaime Camargo
direção de Roberto Talma

Novela anterior
Renúncia

SANDRA BRÉA – Laura
RAUL CORTEZ – Alberto
FRANÇOISE FORTON – Rebeca
FLÁVIO GALVÃO – Guilherme
GIANFRANCESCO GUARNIERI – Pedro
EVA TODOR – Marta
CÉLIA HELENA – Isolina
ODILON WAGNER – Samuel
MILA MOREIRA – Luba Assunção
KARIN RODRIGUES – Albertina
ELIAS GLEIZER – Pacheco
CARMEM SILVA – Jojô
CLÁUDIA ALENCAR – Tereca
LUIZ SERRA – Humberto
MARTHA OVERBACK – Verônica / Flora
ZAÍRA BUENO – Flávia
JÚLIA LEMMERTZ – Beatriz
RENATO BORGHI – Vicente
LÚCIA MELLO – Mariana
ROBERTO OROSCO – Oliveira
ILEANA KWASINSKI – Fedora
CRISTINA PROCHASKA – Ângela
CARLO BRIANI – Sérgio
TAUMATURGO FERREIRA – Irineu
GIUSEPPE ORISTÂNIO – Paulo
LUIZ CARLOS DE MORAES
MAYARA MAGRI – Terezinha
KIKO GUERRA – Devair
MARIA HELENA IMBASSAHY – Valquíria
IVAN LIMA – Afonso
SÔNIA SAMAIA – Sônia
THAÍS BEZERRA – Odete
NEIDE GIACON – Irene
ELZA MARIA – Marialva
YARA MARKES
e
CLODOVIL HERNANDEZ como ele mesmo
Lançada com publicidade bombástica e o slogan “A novela das oito mudou de canal”, na tentativa de os telespectadores deixarem a Globo para sintonizar a Bandeirantes.

Sabor de Mel estreou aproveitando-se de uma rara situação na Globo, quando esta reprisava no horário nobre a novela O Casarão, numa versão compacta. A campanha publicitária de lançamento da novela, feita pela agência Fisher & Justus, tinha outros slogans como: “Quem não sabe que a Carolina não vai casar com João Maciel? Dia 4, mude de atitude. A Bandeirantes não reprisa emoção, cria!” (*)

No dia da estréia, 4 de abril, a Globo esticou o Jornal Nacional até as 20h45, e a Band foi de carona com seu Jornal Bandeirantes. A novela começou bem e conquistou, nos primeiros capítulos, audiência de 4 milhões de telespectadores, com índice perto dos 20% que a emissora queria. Mas na semana seguinte, a Globo antecipou em duas semanas a estréia de sua nova atração, Louco Amor, prevista para estrear no dia 25 de abril, e recuperou sua audiência. Ficou então impossível concorrer com a nova trama de Gilberto Braga na Globo. (*)

Para piorar, o autor Jorge Andrade e o diretor Roberto Talma entraram em atrito. Jorge Andrade não terminaria a novela, sendo substituído por Jaime Camargo.

Na trama da novela, a rica e excêntrica Laura (Sandra Bréa) aguça a curiosidade de todos que a cercam ao colocar um anúncio no jornal oferecendo 20 milhões de cruzeiros a quem decifrasse seu enigma. A trama da ficção pulou para a vida real: o “enigma de Laura” virou um concurso promovido pela Bandeirantes onde Sandra Bréa sorteava cartas enviadas pelos telespectadores. No decorrer da novela, algumas dicas foram fornecidas em alguns capítulos e sinalizadas com o logotipo da emissora num canto da tela. O vencedor do concurso foi sorteado após a apresentação do último capítulo, em julho de 1983, ao vivo, pelo diretor Roberto Talma.
O enigma: “Não existia, mas aprisionou e torturou, envenenou e corrompeu, atormentou, levando à ignorância e ao medo. Suplício do qual o homem, cumprindo seu destino, libertou-se e transcendeu. Dragão maligno que os jovens de hoje, venceram com a espada da esperança”.
A resposta certa era “o pecado”.

Sabor de Mel terminou em 22/07/1983, um sábado, pois em 07/07, sexta-feira, a novela não foi ao ar porque a emissora havia veiculado notícias sobre a Greve Nacional dos Trabalhadores, o que era proibido, e teve seus transmissores lacrados por 15 horas naquela sexta-feira. (*)

Paulo Autran estava em negociação com a Bandeirantes, onde iria estrelar Sabor de Mel. Mas o ator trocou de emissora (foi para a Gobo fazer Guerra dos Sexos), apesar das primeiras chamadas de Sabor de Mel já anunciarem seu nome. Foi então substituído por Gianfrancesco Guarnieri.

A atriz Françoise Forton retornava às telenovelas depois de cinco anos afastada.

Sabor de Mel foi reprisada de 16/07 a 31/10/1989, de 2ª a 6ª feira às 16h30.

* Fonte: o livro Mercado Brasileiro de Televisão, de César Bolaño (EDUC, 2ª edição, 2004).

Trilha Sonora Nacional
sabormelt
01. TANTAS PALAVRAS – Chico Buarque (tema de abertura)
02. NAÇÃO – João Bosco
03. TEIA DE RENDA – Milton Nascimento
04. SETE CANTIGAS PARA VOAR – Elba Ramalho
05. COMO DOIS ANIMAIS – Alceu Valença
06. RASGO DE LUA – Geraldinho Azevedo (tema de Pedro)
07. NEM PENSAR – Kleyton & Kledir
08. LUZ DO SOL – Gal Costa (tema de Laura)
09. TANTO AMAR – Ney Matogrosso
10. EMOÇÕES – Marina (tema de Tereza)
11. BRANCO DE ALMA NEGRA – Tadeu Mathias
12. VIRAÇÃO – MPB 4

Trilha Sonora Internacional
01. I GUESS THAT’S WHY THEY CALL IT THE BLUES – Elton John
02. POP GOES THE MOVIES – Meco
03. ENDLESS LOVE – Diana Ross & Lionel Richie
04. PHYSICAL – Olivia Newton-John
05. LET’S GROOVE – Earth, Wind & Fire
06. GENIUS OF LOVE – Tom Tom Club
07. ALWAYS SOMETHING THERE TO REMIND ME – Naked Eyes
08. LOVE ON YOUR SIDE – Thompson Twins
09. ROSANA – Toto
10. IT’S GONNA TAKE A MIRACLE – Deniece Williams
11. CANDY GIRL – New Edition
12. JULIET – Robin Gibb
13. GET IT RIGHT – Aretha Franklin

Sonoplastia: Salatiel Coelho
Direção musical: Cayon Gadia

Tema de Abertura: TANTAS PALAVRAS – Chico Buarque
Tantas palavras que eu conhecia
Já não falo mais, jamais
Tantas palavras que ela falava
Ditas de novo
Não são iguais
Mesmo a palavra “não”
Não era bem assim
E quando estava no calor da paixão
Ela falava “ai de mim, ai de mim”
Numa canção feroz
Nós inventamos
Palavras sem voz
Palavras ocas
Que nem nossas bocas
Ou fora de si
Minha boca, sem que eu compreendesse
Falou “frenesi, frenesi”
Nossas palavras que se cruzavam
Já não parecem mais casais
Hoje andam tortas
Feito uma jura
Que quer voltar pra trás
Nós aprendemos palavras duras
Como dizer “perdi, perdi”
Palavras tontas, essas palavras
Quem falou não está mais aqui…

Veja também

  • campeao82_logo

Campeão (1982)

  • bracodeferro_logo

Braço de Ferro

  • ninhodaserpente_logo

Ninho da Serpente

  • macadoamor_logo

Maçã do Amor